A divisão antiterrorismo da Polícia Federal busca identificar os integrantes de um grupo extremista que ameaça matar o presidente Jair Bolsonaro e dois ministros, de acordo com reportagem da Veja publicada nesta sexta-feira (17).

O movimento se denomina “Sociedade Secreta Silvestre” e se diz “ecoterrorista” e “anticristão”, de acordo com o suposto documento obtido pela revista.

O grupo teria feito ameaças em um site. Em dezembro do ano passado, militantes chegaram a citar que fariam um atentado na cerimônia de posse presidencial. Na época, a polícia desarmou uma bomba colocada na porta de uma igreja que fica a cerca de 50 km do Palácio do Planalto. Não foi detalhado pela reportagem se o ataque está relacionado à “Sociedade Secreta Silvestre”.

O grupo incendiou, recentemente, dois carros em uma das sedes do Ibama, em Brasília. Neste caso, o grupo assumiu a autoria do atentado e ainda anunciou que o próximo alvo será o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente.