Cento e cinquenta quilos de camarão, 250 kg de congrio, 200 kg de salmão, 60 kg de atum, 20 kg de carne. Ingredientes para uma festa de arromba? Ledo engano: apenas iguarias relacionadas em edital da Casa Civil de compra de comida para o Palácio Iguaçu, no valor de R$ 90,5 mil.  A intenção da compra está sendo questionada pelo MDB paranaense que, em  representação protocolada no Tribunal de Contas do Estado (TCE), pede o imediato cumprimento do princípio da moralidade na administração pública e a suspensão do processo licitatório.

Na representação, o presidente regional do partido, João Arruda, faz menção ao recente escândalo da compra de alimentos caríssimos, como lagosta de primeira qualidade, para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O documento também faz referência aos gastos do prefeito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo, em restaurantes caros nas viagens que faz pelo Brasil e no exterior. Para Arruda, o edital dos peixes, carnes e frutos do mar é um desrespeito à população que enfrenta, no momento, grave crise econômica.