Os cerca de 400 servidores públicos estaduais que passaram a noite na Assembleia Legislativa deixaram nesta quarta-feira (10) o local após acordo com os deputados. Eles desocuparam as galerias da Casa logo após a sessão matinal, depois que o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), anunciou que a votação da proposta de reajuste ficou mesmo para o reinício dos trabalhos legislativos, em agosto, ao mesmo tempo em que os deputados tentariam intermediar um acordo entre o governo e os grevistas.

Os manifestantes saíram da Assembleia gritando “fora Feder” [Renato Feder, secretário estadual de Educação] e “data-base já!”. Barracas continuam armadas na frente das entradas do Palácio Iguaçu.

O líder do governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri confirmou que será enviado no início de agosto o projeto de lei que a gestão considera possível: 4,94% de reajuste, parcelado em quatro vezes, sendo a primeira parcela de 2% a ser paga em janeiro. A decisão – ainda sujeita a eventuais negociações, já foi encaminhada ao Fórum das Entidades Sindicais (FES).

Ouça a explicação de Bakri: