O senador Alvaro Dias (Podemos) afastou qualquer possibilidade de abrir mão de sua candidatura em nome de uma unidade do centro democrático e reformista. As especulações sobre uma possível coligação entre o parlamentar com outras candidaturas cresceram após uma reunião entre Dias e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) na semana passada, cujo tema foi o projeto de unidade das candidaturas de Marina Silva (REDE), Geraldo Alckmin (PSDB) e do político do Podemos.

A saída de Alvaro Dias é vista como essencial para os planos do presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin. Ex-governador do Paraná, Dias varia entre 3% e 5% das intenções de voto nacionalmente, provenientes sobretudo do sul do país, eleitores historicamente simpatizantes do PSDB, o que emperra o crescimento de Alckmin nas pesquisas.

Dias voltou a afirmar que não tem interesse em deixar de apresentar seu nome como alternativa ao eleitor. O senador foi duro ao refutar que a presidente de seu partido, deputada federal Renata Abreu, estivesse negociando um apoio do Podemos a outros partidos.

— Nossa candidatura está posta de forma irreversível. Não há nenhuma cogitação de recuo — disse.