O governo do Paraná economizou R$ 80,3 milhões em gastos com pessoal e com a renegociação e cancelamento de contratos. O resultado foi anunciado nesta segunda-feira (15) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante apresentação do balanço de 100 dias de gestão.

No total, a estimativa do Executivo é que a economia alcance no mínimo R$ 237,3 milhões em todo o ano, valor que poderá chegar a R$ 260 milhões se forem implementadas ainda em 2019 todas as três etapas da reforma administrativa. Segundo Ratinho Junior, a economia é essencial, mas a reestruturação do Estado é tão importante quanto a redução de gastos.

Ratinho Junior ressaltou que as medidas de austeridades adotadas já nos primeiros dias de janeiro, como o contingenciamento de 20% dos gastos de todas as pastas, a revisão de contratos e convênios, o congelamento de salários do primeiro escalão, e o corte de privilégios foram responsáveis diretas pelo resultado apresentado.

“Nosso foco nunca foi apenas economizar, mas aumentar a eficiência do governo”, disse Ratinho Junior. “E pela velocidade que estamos trabalhando já dá para ver que está dando certo”, destacou o governador, que elencou mais de 60 iniciativas que estão contribuindo para o bom desempenho do Paraná neste ano.

A primeira parte da reforma do Estado está em tramitação na Assembleia Legislativa e reduz o número de secretarias de 28 para 15, além de extinguir 339 cargos comissionados e funções gratificadas, resultando em uma economia de R$ 10,6 milhões anuais aos cofres públicos. As outras duas etapas tratarão da junção de autarquias e da redução da estrutura física do Estado.