Polícia diz por que morte de petista não pode ser enquadrada como crime político

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) divulgou nesse domingo (17) nota para justificar a decisão de ter descartado motivação política no assassinato do tesoureiro do PT Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu, pelo polícia penal federal Jorge Guaranho.

De acordo com a instituição, não há nenhuma qualificadora específica para motivação política prevista em lei. A nota diz ainda que não há previsão legal para o enquadramento como “crime político”, já que a antiga Lei de Segurança Nacional foi revogada.

“Portanto, o indiciamento, além de estar correto, é o mais severo capaz de ser aplicado ao caso”, afirmou a Polícia Civil.

Guaranho foi indiciado por homicídio com duas qualificadoras: por motivo torpe e causar perigo comum, segundo informou a delegada responsável pelo caso, Camila Cecconello, na última sexta-feira (15).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: