Gastos do Judiciário, o exemplo que vem de cima

Desembargadores do Paraná dispõem de carro e motorista. Nem todos, mas grande parte. Há uns poucos que recusam o privilégio. São carros novos, de luxo, algumas SUVs para viagens mais longas. O TJPR também tem copeiras, garçons, auxílios moradia, frutas, livros que distribui entre seus membros.

Seria um caso à parte, inexistente o resto do Brasil? Não, outros tribunais de Justiça concedem, às vezes, privilégios e vantagens talvez ainda maiores, apesar de regras de contenção de exageros que, de quando em quando, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) baixa.

Mas se aqui e alhures nos judiciários estaduais é quase tudo igual, também no Supremo Tribunal Federal (STF) as coisas não são diferentes. O assunto foi comentado pelo professor e comentarista Marco Antonio Villa, da Rádio Jovem Pan de São Paulo. Vale a pena vê-lo e ouvi-lo. Para constatar que o exemplo vem de cima.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Este país é uma vergonha…..quero de volta os militares, para mandar todos esses politicos pra casa…. vergonha …. vergonha….será que eles sabem que nós estamos sabendo…… e o beira mar na cadeia….

  2. A grande verdade as corporações públicas se assenhoraram dos poderes; legislam-se, concedem-se benesses, defendem-se por meio de escrachado compadrio de interesses recíprocos – a sociedade, insossa politicamente, só comparece para pagar a conta. Até quando?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui