A Polícia Federal (PF) concluiu que eram falsas as mensagens de WhatsApp que resultaram na demissão do general Carlos Alberto dos Santos Cruz da secretaria de Governo da Presidência da República.

As fake news teriam sido levadas ao presidente Jair Bolsonaro pelo chefe da Secom, Fabio Wajngarten.Nas mensagens forjadas, Carlos Bolsonaro era chamado de “desequilibrado” e Flávio Bolsonaro de “frouxo”. Carlos e Flávio são filhos do presidente.

O próprio presidente Bolsonaro era tratado como “covarde” e “imbecil”.

A PF não descobriu quem produziu essa fraude. O que se sabe é que o general Santos Cruz foi alvo constante dos ataques de Olavo de Carvalho, que o chamou de “bandidinho”, “politiqueiro de merda”, “um nada” e “bosta engomada”. (As informações são do blog O Antagonista).