Empresários mostram a candidato do Novo a falta de ajuda da Prefeitura

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

A propaganda da Prefeitura de Curitiba sobre fundo de aval para microempresários é um projeto não efetivo. Esse foi o lamento do presidente da A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel – PR), Nelson Goulart, feito durante encontro com o candidato do Partido Novo à prefeitura da capital paranaense, Dr. João Guilherme, e sua vice, Geovana Conti, além da candidata a vereadora Indiara Barbosa.

O encontro ocorreu numa sabatina promovida pela Abrasel-PR, o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba (Sindiabrabar) e o Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, meios de Hospedagem e Gastronomia, Turismo e Hospitalidade  (Sindehotéis) para debater as propostas para o setor.

De acordo com Goulart, o fundo de aval hoje não é operacional. “Eu vi na propaganda do atual prefeito de que a Prefeitura teria disponível R$ 10 milhões para o fundo de aval. Mas é um projeto que não está regulamentado e uma proposta dessa precisa de regras para operar, de uma instituição financeira credenciada. É marketing que na prática não está ajudando os empresários”, disse.

O candidato a prefeito Dr. João Guilherme disse que a Prefeitura precisa investir recursos próprios e de financiamento para efetivar um fundo que ajude quem mais precisa hoje. “O microempresário passa por situação de crise, não teve condições de pagar aluguel ou IPTU e por isso não tem todas as certidões para obter crédito. A Prefeitura precisa ter sensibilidade, entender a situação desses empresários, dar condições de refinanciamento e de crédito para o pequeno, fazer a roda da economia girar novamente”, disse João Guilherme.

Dentre outros temas debatidos entre os candidatos com empresários etrabalhadores dos setores estiveram educação, saúde, gestão pública e transporte. De acordo com João Guilherme, propostas de redução de tarifa de transporte hoje não são efetivas. “Precisamos atrair mais gente para o sistema de transporte, que é a única forma hoje de reduzir os custos.
Por isso, vou imediatamente após a posse introduzir o bilhete temporal no sistema, pelo qual a pessoa pode mudar de linha de ônibus sem precisar se deslocar até um terminal ou estação tudo de baldeação”,disse o candidato.

Deixe uma resposta