Adeus Lula! Adeus Gleisi!

Sem o senador Roberto Requião no comando, o MDB do Paraná deve mudar sua orientação com relação ao PT, Lula e Gleisi. É o que dizem os mais próximos do novo presidente estadual da legenda, deputado João Arruda, eleito em convenção realizada na manhã deste sábado (15) em Curitiba.

A atuação de Requião tanto como senador quanto como presidente do MDB estadual foi de manter estreita vinculação com o PT. Lutou contra o impeachment de Dilma Roussef, brigou em defesa de Lula e atuou com grande sinergia política com a colega senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional petista.

Não poucos emedebistas debitam a estas ligações com o lulopetismo o fraco desempenho que o MDB paranaense teve nas últimas eleições no Paraná (perdeu uma das três cadeiras que mantinha na Assembleia) e, ao longo dos últimos anos, viu também reduzido para apenas 70 o número de prefeitos.

2018-12-15T19:11:57+00:00 15 dezembro - 2018 - 19:11|Política|3 Comentários


3 Comentários

  1. Rock 15 de dezembro de 2018 em 19:16 - Responder

    E esses anões políticos que vão sobrar no partido esquecem que se não fosse Requião e o PT., quem sabe lá atrás eles já tinham caído do cavalo e nem lembrados seriam pelo eleitor hoje e se chegaram onde chegaram foi graças a dobradinha Requião e PT., no Paraná, mas diferente de Requião que não abandona companheiros os demais fazem o que todo mundo faz na politica só se aproximam de quem esta no poder.

  2. OBSERVADOR INTRIGANTE 16 de dezembro de 2018 em 19:37 - Responder

    Quem acredita?

  3. Sérgio Sipreste 16 de dezembro de 2018 em 23:22 - Responder

    ÔNUS e BÔNUS. Quando o PT esteve por cima, e foi um longo tempo, o PMDB de Requião, e ele próprio, Requião, foram beneficiados com esse estelionato eleitoral. Agora os tempos são outros… Não dá para ficar sempre do lado do vencedor, a não ser que você seja RICARDO BARROS, o cara do PP enrolado, que conseguiu ser governo com FHC, Lula, Temer e Beto Richa…

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta