Zerar a fila das creches não foi prioridade, avalia Christiane Yared

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Candidata à Prefeitura de Curitiba pela coligação Curitiba Cidadã (PL/PROS), a deputada federal Christiane Yared avalia que a fila de espera por vaga em creche na capital é uma clara demonstração de desrespeito às mulheres trabalhadoras de Curitiba. De 0 a 3 anos, a legislação federal não obriga o município a universalizar o atendimento e o resultado é uma fila interminável a espera de vagas, que oscila em um déficit entre 7 mil e 10 mil vagas.

Dados oficiais da Secretaria Municipal da Educação (SME) dão conta que somente neste ano o município chegou a 50 mil vagas ofertadas na Educação Infantil (berçário, maternal e prés I e II). Em contrapartida, o número de habitantes em Curitiba com idade entre 0 e 3 anos, segundo o último Censo do IBGE, em 2010, era de 85.836.  A sensação é que ao longo de uma década a gestão pública municipal nunca tratou a questão com a devida importância. “Zerar a espera por creche não foi prioridade de nenhum prefeito de Curitiba até hoje”, avalia Christiane Yared.

Dados do MP-PR (Ministério Público do Paraná), do segundo semestre de 2018, mostravam que 7.940 crianças estavam na fila para uma vaga nas creches de Curitiba, “O Ministério Público questionar que quase 8 mil mães não conseguem trabalhar ou estudar por não terem com quem deixar os filhos é uma enorme de uma vergonha para uma cidade como Curitiba, que adora dizer que é de primeiro mundo”, acrescenta Christiane Yared. “E essa realidade é ainda mais grave na periferia. Pelo visto essa questão só poderá ser resolvida quando tivermos uma prefeita mulher, que tenha sensibilidade para este problema. Não é possível!”, completa a candidata, que é a única mulher entre os primeiros colocados da pesquisa Ibope/RPC.

Para ela, a solução será ampliar e fazer realmente uma parceria firme com as instituições, berçários e escolas privadas, a fim de zerar a fila e ajudar essas pequenas empresas, que passaram pela maior crise do setor nos últimos tempos, por conta do coronavírus. “Vamos buscar na iniciativa privada a solução para esse problema. Durante a pandemia centenas de professores, serventes, porteiros, secretárias foram demitidos das escolas infantis particulares em Curitiba. Além disso resolveremos os problemas dessas mães e dessoes pais”, finaliza Christiane Yared.

Deixe uma resposta