Vereador de Campo Magro suspeito de prática de “rachadinha” é processado por improbidade administrativa

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Por meio da 4ª Promotoria de Justiça de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, o Ministério Público do Paraná (MPPR) acionou por improbidade administrativa um vereador de Campo Magro (município da comarca) investigado por prática de “rachadinha”. Conforme apurou o MPPR, entre 5 de janeiro de 2017 e 1º de março de 2019, o vereador (reeleito em 2020) teria exigido parte do salário de uma assessora de gabinete como condição para mantê-la no cargo.

Na ação, a Promotoria de Justiça requer cautelarmente a decretação da indisponibilidade de bens do vereador, no montante de R$ 64.221,62, e seu afastamento da função. Na análise do mérito, pede a condenação do requerido às sanções previstas na Lei de Improbidade, como perda do cargo público, pagamento de multa e suspensão dos direitos políticos, além do pagamento de indenização à Câmara de Vereadores pelos danos morais causados à sua imagem. (Do MPPR).

Deixe uma resposta