Colunista deste Contraponto, o advogado Claudio Henrique de Castro aborda um tema que polêmico: a Justiça brasileira ajuda os bancos a conseguirem os altos lucros que apresentam em seus balanços.

Um exemplo: vítima de fraude, o cliente ganha na justiça o direito de ter de volta o exato valor que lhe foi surrupiado da conta – mas os juízes se “esquecem” que o Código do Consumidor determina que a devolução deve ser em valor dobrado. Além disso, arbitram indenizações por danos morais claramente insuficientes.

Resultado: os bancos não são punidos na escala legal e justa, enquanto os clientes arcam com todos os incômodos – como o tempo que perdem e os aborrecimentos que sofrem.

Ouça esta lição didática do colunista: