O governo Ratinho Jr na geração Google(por Ruth Bolognese) – A escolha por um jovem de Minas Gerais, expert em informática e fabricante de equipamentos eletrônicos de segurança e de comunicação, Renato Feder, para comandar a secretaria de Educação do Paraná é o primeiro sinal da opção de Ratinho Jr por fazer um governo com jeito e modo que se encaixa na chamada geração “Google”. É a cara dele.

Renato Feder já era o nome para a educação desde a campanha eleitoral, o que fez Ratinho Jr recusar uma sugestão de nome trazida por ninguém menos do que um dos fundadores do grupo Positivo e então candidato ao Senado, Oriovisto Guimarães. O grupo Positivo, como se sabe, é um dos maiores cases de sucesso na área da educação privada do País.

A escolha de Feder com tanta antecedência fez com que Ratinho Jr sequer consultasse empresários da área de educação e os sindicatos da categoria patronal, como é uma tradição no Paraná.

A última nomeação para a secretaria de Educação de um nome de fora do Paraná foi no governo Lerner, quando assumiu Alcyone Saliba, com bom currículo e até experiência na ONU. Três anos e meio depois, foi demitida pelo governador pelo desgaste no relacionamento com os professores da rede estadual de ensino.