Foi Toffoli quem apressou o aumento para o STF

Logo após assumir em setembro a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli teria pedido ao presidente do Senado, Eunício Oliveira, que pusesse em pauta para votação o projeto (parado desde 2016) que concedia o reajuste de 16% sobre os subsídios do Judiciário, que de R$ 33 mil passam, agora a R$ 39 mil.

Eunício, em fim de mandato e não reeleito, assim como 46 outros senadores derrotados nas urnas, muitos deles com pendências na Justiça, votaram e aprovaram – e criaram um “efeito cascata” que vai custar aos contribuintes cerca de R$ 5 bilhões por ano, já que a remuneração-teto se estende para todas as esferas, isto é, para estados e municípios.

Toffoli teria se comprometido com Eunício que, em contrapartida, iria batalhar pela extinção do auxílio-moradia atualmente pago a todos os membros do Judiciário em todo o país. Fazendo as contas, o impacto do aumento aprovado pelo Senado seria bem menor.

A dúvida é: Toffoli vai cumprir a sua parte no acordo ou vai se render ao corporativismo que não aceita perder o benefício? Em tempo: a extinção do auxílio-moradia depende de julgamento de ações que estão no STF há mais de quatro anos.

2018-11-08T14:47:50+00:00 08 novembro - 2018 - 12:12|Brasil, Paraná, Política|2 Comentários


2 Comentários

  1. Eduardo Pereira 8 de novembro de 2018 em 13:02 - Responder

    Logo a culpa é do PT. Entendi. Gosto de ler texto jornalistico com esta precisão. No final não é tão dificil como querem que pensemos.

    Adoro o tempo do verbo ter usado aqui. Sempre o futuro do pretérito . “Teria pedido ” , “Teria falado” ou seja ZERO de informação pois ” teria falado ” não é o mesmo de falou e “teria pedido” por mais incrivel que pareça não significa que pediu.

    No mais o vampirão pode vetar. Mas quem compra a briga? O ContraPonto nem pensa nisso pois ate agoia so se desviou do problema e quer terceirizar a responsabilidade pondo no eunicio o que não é do eunício.

    E Para a Carminha não vai nada? Vai tudo , pois foi ela que sentou com o vampirão pra definir isso.

  2. marco Prof. 8 de novembro de 2018 em 18:20 - Responder

    Abaixo o STF, deveriam dar o exemplo e seguir junto com os funcionários públicos, sem reposição a mais de 03 anos.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta