Morre a ex-vereadora Dona Lourdes

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Morreu na madrugada desta quinta-feira (1º), em Curitiba,  a ex-vereadora Dona Lourdes, de 93 anos,. Ela estava internada para tratamento de um AVC, sofrido na manhã da última terça-feira (30).

Dona Lourdes ocupava uma cadeira na Câmara Municipal de Curitiba desde 2005, quando foi eleita pela primeira vez, com cerca de 6 mil votos. Era conhecida por nunca se atrasar e nunca faltar às sessões da vereança.

O velório será no Cemitério São Francisco de Paula e o sepultamento, às 14 horas, no Cemitério Parque Iguaçu.

Dona Lourdes era viúva, mãe de duas filhas e avó de cinco netos. Com a família, no ano passado, em meio à pandemia, decidiu não se candidatar novamente ao cargo, mesmo após quatro vitórias consecutivas nas urnas. Na legislatura passada, quando tinha 89 anos, foi a vereadora mais idosa em atividade no Brasil. E o único privilégio que tinha era, no inverno curitibano, ter um aquecedor só dela, na bancada, para protegê-la do frio.

Dona Lourdes não faltava, não se atrasava e fazia questão de votar nos projetos e se erguer da cadeira, ainda que com dificuldade, na apreciação dos requerimentos dos colegas vereadores. Com ela em plenário, ninguém tinha desculpa para se distrair, pois a parlamentar, ainda que falasse pouco na tribuna, exercia sua liderança pelo exemplo. No fim de 2020, após sobreviver ao primeiro ano da pandemia do novo coronavírus, foi homenageada pela Câmara Municipal de Curitiba.

Natural de Santa Catarina, Dona Lourdes iniciou sua carreira profissional em Ituporanga, na Central Telefônica Catarinense. Foi transferida para Blumenau e lá permaneceu por 13 anos. Em 1959, mudou-se para Curitiba e passou a trabalhar no PABX, que funcionava na loja Hermes Macedo, onde atuou por 30 anos. Telefonista aposentada, já fazia trabalho social, na medida de suas possibilidades, quando concorreu a uma cadeira na CMC e venceu, aos 77 anos, com 6.438 votos. O subsídio de vereadora usou para ampliar o atendimento à população.

Dona Lourdes alimentava quem tinha fome, abria as portas de casa para que pessoas em situação de rua tomassem banho, mandava buscar documentos em outros estados para regularizar a situação de famílias de migrantes, que de outra forma ficariam sem documentos dentro do próprio país. Em especial, ajudava idosos a protocolarem suas aposentadorias no INSS. Ela relatou isso numa rara entrevista, concedida à Diretoria de Comunicação da CMC.

Presença na CMC
Dona Lourdes foi a 7ª mulher a ocupar um cargo na Mesa Diretora da Câmara de Curitiba, quando, na 16ª legislatura, referente ao biênio 2015/2016, foi a quarta-secretária do Legislativo. Na legislatura seguinte, ajudou a bancada feminina a bater o recorde de representação política das mulheres na CMC, com oito eleitas nas urnas – uma marca ainda a ser batida pelas futuras gerações. Por tudo isso, figura na galeria das vereadoras de Curitiba, destinada à preservação da memória dessas pioneiras da luta contra a desigualdade de gênero na capital do Paraná.

Dos 40 projetos individualmente protocolados pela parlamentar, 34 se tornaram leis municipais. Ela é coautora da lei municipal 15.129/2017, que regulamenta a concessão de espaços públicos para a instalação de circos itinerantes em Curitiba, aprovada em novembro de 2017. Também assina a lei municipal 15.251/2018, que instituiu na cidade a Semana de Conscientização sobre a Fibromialgia. Em parceria com o ex-vereador Colpani, aprovou a lei municipal 14.950/2016, que aumentou a multa aos proprietários de terrenos malconservados, edificados ou não, que não atendam à notificação da Prefeitura de Curitiba.

 

Deixe uma resposta