Lula chama aliados para a reconstrução do Brasil

Em entrevista ao vivo para a jornalista Denise Mello, na Rádio Banda B, de Curitiba,na manhã desta terça-feira (15), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato a presidente da República, disse que “o Brasil está destruído”.

“Quando deixei a presidência da República, esse país era a sexta economia do mundo, tinha aumento real salário mínimo, a maior política de inclusão social da história, uma reserva de US$ 70 bilhões que nunca tínhamos tido. Queremos fazer com que o povo pobre volte ao orçamento da União, que tenha emprego, que volte a comprar aquilo que é necessário para sua sobrevivência”, disse.

O pré-candidato petista se colocou à disposição de partidos aliados para tentar um retorno ao posto de presidente novamente e atacou a atual gestão.

“Temos uma crise sanitária jamais vista, uma crise social com 19 milhões passando fome e mais 16 milhões em insegurança alimentar, desemprego muito alto, inflação a mais de 10%. Precisamos de alguém com experiência e maturidade para consertar o Brasil e voltar a crescer, com melhoria de qualidade de vida.”

Aprendizado

Durante a entrevista, Lula garantiu que a passagem por Curitiba, onde ficou preso por 580 dias, na Polícia Federal, “foi um grande aprendizado”. “Minha relação com Curitiba sempre foi de profundo respeito e admiração, pela cidade e pelo povo, sempre me tratando com muita decência. Não foram poucas as vezes que fui ao Paraná e Curitiba e não confundo o que aconteceu comigo em 2018. Tinha uma pequena quadrilha montada dentro do Ministério Público e um juiz em Curitiba, que resolveu contar a maior mentira desse país. Foi a primeira vez que a Justiça, junto com a imprensa, combinaram o que fazer e para o que fazer. Eu poderia ter saído do Brasil e, quando tomei atitude de ir a Curitiba, foi porque tinha muita convicção que iria comprovar minha inocência e parcialidade do Moro”, disse.

Alkmin vice

Lula afirmou à jornalista Denise Mello que tem conversado com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin para compor uma chapa nas eleições presidenciais de 2022. Disse não ver problema em ter Alckmin (sem partido) como vice na campanha eleitoral, pois considera a necessidade de ter um vice-presidente com perfil diferente, assim como ocorreu com José Alencar durante os dois mandatos do petista na presidência..

“Eu não quero um vice igual a mim, como escolhi o José de Alencar para ser meu vice. Você precisa ganhar e consertar o que foi destruído. Ainda não está certo porque o Alckmin. Não vejo nenhum problema em ter o Alkmin como meu vice. Ele foi meu adversário, mas precisamos pensar o que o país precisa. Vamos ter de fazer um trabalho imenso para recuperar a pais porque temos um presidente( Bolsonaro) completamente irresponsável, que mente por prazer, que vende fake news todos os dias para o país”, disse o ex-presidente. (Da Rádio Banda B).