Jurista diz que Bolsonaro cria crises artificiais e que a nação está exausta

O jurista Miguel Reale Júnior, de São Paulo, disse nesta quinta-feira (4), em entrevista à UOL, que o presidente air Bolsonaro vem criando uma série de crises artificiais e deixando os brasileiros cansados. “O que se vê é uma crise artificial. A nação está exausta, o que gerou reação da sociedade civil organizada”, afirmou.

Segundo Reale, “o que importa é saber qual é o objetivo final. Não existe confronto entre Poderes, o que existe é um presidente que cria um confronto artificial para justificar eventualmente soluções extraconstitucionais.”

Um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, ao lado da atual deputada paulista Janaína Paschoal,  Reale Júnior disse também  que afrontar os Poderes da República seria o mais grave crime de responsabilidade que Bolsonaro poderia cometer.

“Quando o presidente vai a um ato como da Praça do Exército, onde havia faixas a favor do AI-5, ‘ditadura com Bolsonaro’, e ele não só vai como discursa dizendo que ele estava ali porque entendia que o caminho dos apoiadores estava certo, torna sua essa manifestação, com ataque aos poderes Legislativo e Judiciário… Havia faixas pelo fechamento do STF. Portanto, está atuando em afronta grave aos Poderes. Esta seria a acusação mais grave que poderia ser feita como crime de responsabilidade. Além do mais, sua conduta ao longo deste ano afronta o decoro, a compostura.”