Itaipu adere ao movimento mundial da Síndrome do X Frágil

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Alguns pontos turísticos da usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), uma das maravilhas da Engenharia, vão ganhar a cor azul no próximo mês para marcar o Dia Mundial da Síndrome do X Frágil, condição que afeta o desenvolvimento intelectual, o comportamento e provoca atrasos na fala. De 19 a 25 de julho, a hidrelétrica vai iluminar, no tom da campanha, a fachada do Centro de Recepção do Visitante, na entrada da barreira da usina, e as calotas do Parque da Piracema.

A usina adere ao movimento do Instituto Buko Kaesemodel para conscientizar a população sobre essa afecção genética, ainda pouco conhecida e difundida. O instituto será a única instituição brasileira a participar da ação junto com a Global Initiave of Fraxa Reasearch Foundation, agora também abraçada pela usina.

Por causa da pandemia, o atrativo da Iluminação da Barragem não está aberto ao público, daí a opção de iluminar outros prédios da empresa para engajamento nesta ação da Síndrome do X Frágil. Em outras épocas, a Iluminação da Barragem mudou de cor em função de eventos temáticos para conscientização sobre alguma doença, como o Outubro Rosa (câncer de mama), o Novembro Azul (câncer de próstata) e o Setembro Amarelo (de alerta ao suicídio), entre outras.

A Síndrome do X Frágil – A síndrome é causada por uma mutação em um gene (FMR1) que inibe ou reduz a produção de uma proteína (FMRP) essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso e de várias funções cerebrais. Os sintomas podem ser tratados e a sua transmissão pode ser evitada por meio de aconselhamento genético.

O Buko Kaesemodel, localizado em Curitiba, é uma entidade sem fins lucrativos, responsável pelo Programa Eu Digo X, de pesquisa, diagnóstico, orientação e mapeamento a respeito da síndrome. (Da Itaipu Binacional).

Deixe uma resposta