Galindo demitido da Gazeta

O jornalista Rogério Galindo acaba de ser demitido dos quadros da Gazeta do Povo, jornal em que militou durante 18 anos. Inteligência e textos brilhantes, nos últimos tempos vinha sendo uma das poucas vozes independentes e dissonantes da linha editorial adotada pelo mais importante jornal do Paraná – hoje reduzido apenas à edição eletrônica em que prevalecem colunistas dedicados à defesa político-ideológica de direita, dedicando espaço mínimo ao desejável pluralismo.

Perde a imprensa paranaense.

2018-11-06T08:17:35+00:00 05 novembro - 2018 - 17:51|Brasil, Paraná, Política|44 Comentários


44 Comentários

  1. roberto 5 de novembro de 2018 em 18:31 - Responder

    Sorry, dear: 16 anos depois,a esquerda esquizofrênica cansou e morreu. Tem que renovar até a oposição. Torná-la inteligente, proativa e progressista, o que é impossível com os que estão ai.

    • Aldo Vianna 5 de novembro de 2018 em 20:37 - Responder

      Boa.

  2. Rock 5 de novembro de 2018 em 18:55 - Responder

    Morei anos em Curitiba e comprava quase que diariamente esse jornal, depois voltei para minha cidade e continuei com o hábito de comprar ,mas parei a uns 8 anos atrás de fazer isso pois percebi que se tornara o jornaleco a serviço de poderosos e politiqueiro ao extremo e sempre ao lado de quem pagasse pelo espaço em suas páginas e hoje não entro nem em suas chamadas eletrônicas por que sua credibilidade esta abaixo de zero.

  3. Manoel 5 de novembro de 2018 em 18:59 - Responder

    Tempos sombrios
    Quem oferece o contraponto é simplesmente excluido

  4. Ronaldo Barreto 5 de novembro de 2018 em 20:25 - Responder

    Ganha a população que nem precisa ler mais mais o blog de direita que virou a gazeta, se fosse um jornal imparcial não teria morrido.

  5. Fabiano Seth 5 de novembro de 2018 em 20:26 - Responder

    Não sei como sobreviveu tanto tempo nesse jornal de aluguel.

  6. Aldo Vianna 5 de novembro de 2018 em 20:41 - Responder

    Já foi tarde. Comunista que tingia de modo intenso seus artigos de coloração rubra. O mundo inclinou-se á direita e não há lugar para comunas insensíveis ao terror que o povo vivenciaria no próximo mandato caso eleito o “BOSTE”, piá de recados do penitenciário.

  7. Augusto venier 5 de novembro de 2018 em 20:42 - Responder

    Sempre foi um jornaleco

  8. De queixo caído 5 de novembro de 2018 em 20:46 - Responder

    Que absurdo!!! Eu já libtextos dele e fiquei deslumbrada e queria abraçar, já li e tive vontade de bater, mas vontade é coisa que dá e passa e eu já fiquei emburrada com a Ruth desse jornal também… não se sabe mais ouvir, ler, mas é ao mesmo tempo assustador que aquele jornal não tenha tido visão de que Galindo era remanescente de vida inteligente naquele jornal. Galindo, crie seu próprio jornal. Escreva aí com a Ruth.

  9. Eleitor 5 de novembro de 2018 em 20:47 - Responder

    Não compro no condor pq não respeitou seus funcionários. Não comprava nada na Havan pq os produtos eram um lixo e agora não comprarei nunca pq ali dono da loja ameaça os funcionários. Pra finalizar, vou encerrar a assinatura na gazeta.

    • Carvalho 6 de novembro de 2018 em 07:15 - Responder

      Mas anda com carros de luxo.

    • BR18 6 de novembro de 2018 em 20:31 - Responder

      Não faz falta nenhuma…. quer ler textos esquerdistas… Leia as jornal, está cheio de ativistas travestido de jornalistas!

  10. Célia 5 de novembro de 2018 em 20:55 - Responder

    A descrição da gazeta não poderia ser mais precisa. Um jornal.que quer assinantes. Mas que quer assinantes que concordem.com a opinião deles e não assinantes que pagam para ser informados.

    Conheci o Galindo na cobertura de uma crise no colégio jesuíta, na época primeiro tive raiva dele, depois eu vi que ele era um ponto fora da curva e comecei a prestar atenção nas coisas que ele apontava: leitor veja isso e isso também. Contraponto era com ele mesmo.

    Grande jornalista. Ainda bem que está vivo, agora mais do que nunca

  11. Gilberto Brantz 5 de novembro de 2018 em 21:21 - Responder

    Tiau Tiau Galindo luloviski, já vai tarde!

  12. Oto Lindenbrock Neto 5 de novembro de 2018 em 21:21 - Responder

    O que melhor define o momento atual é a exclamação do personagem ” coronel Kurtz” do filme. Apocalipse Now: ” É o horror!”

  13. marco Prof. 5 de novembro de 2018 em 21:28 - Responder

    Perdeu a Gazeta do Povo, logo logo vai ser extinta

  14. Annee Gannee Gonneet 5 de novembro de 2018 em 21:32 - Responder

    Tarde demais Gazeta, a vaca já foi para o brejo!

  15. Macunaíma 5 de novembro de 2018 em 21:40 - Responder

    Lula não está lendo mais.

  16. José 5 de novembro de 2018 em 21:40 - Responder

    Vida longa Galindo. A gazetinha já era.

  17. Tonho 5 de novembro de 2018 em 21:51 - Responder

    É sempre bom ter pensamentos, ideias, opiniões diferentes, isso provoca reflexões, debates e desenvolvimento intelectual, mas parece que a gazeta só quer ideias e atitudes tiradas das novelas globais e do BBBs !!!

  18. Dafne Coimbra 5 de novembro de 2018 em 22:06 - Responder

    Nunca fez contraponto, era sim um apologista de esquerda obtuso. Parcial nas análises e cruel nas críticas, agora tem chance de defender sua turma ao lado deles.

  19. MARY LUCY 5 de novembro de 2018 em 22:14 - Responder

    A Gazeta encolheu porque deixou-se contaminar pela noticia paga dessa gente mesquinha que domina o Paraná mas não lhe dá credibilidade. Está quase fechando as portas. Já os bons jornalistas que saíram de seus quadros continuam escrevendo, tem público cativo. Assim será com Galindo. Qualquer que for o jornal, blog ou seja que nome tiver, onde ele estiver escrevendo, lá estarei em busca de seus textos inteligentes.

  20. Sandro Carvalho 5 de novembro de 2018 em 23:22 - Responder

    A Gazeta não faz jornalismo – faz apenas panfletagem político-ideológica.

  21. Joana Maria 5 de novembro de 2018 em 23:39 - Responder

    Perdeu a Gazeta do Povo um grande jornalista e muitos leitores que entravam no site tambem para ler o Caixa Zero. Entrar lá só para ver um lado dos fatos não queremos. Defendemos a pluralidade de ideias a liberdade de expressão.

  22. Ricardo R 5 de novembro de 2018 em 23:45 - Responder

    Era só uma questão de tempo, pois a Gazeta escolheu (ou precisou) encolher. Um a um, foi dispensando seus melhores colunistas, de esquerda, centro ou direita, até mesmo aqueles que não escreviam nada com viés político. Acho que esse é um dos últimos pregos no caixão do ex jornal. Morte natural ou suicídio? Para esclarecer isso não vão faltar teses acadêmicas nos próximos anos. Rest in peace, Gazeta.

  23. Eduardo Salamuni 6 de novembro de 2018 em 00:50 - Responder

    A Gazeta do Povo está se suicidando aos poucos. Seus controladores não perceberam que o mundo é plural e, que apesar de pender como uma gangorra, precisa de espaço para o debate de ideias. A segunda geração está destruindo a obra de Cunha Pereira que, apesar de necessitar um pouco mais de visão de mundo, foi, pelo contrário, apequenado pela miopia ideológica de uma corrente só.

  24. joao 6 de novembro de 2018 em 03:41 - Responder

    A mídia tem certa obscuridade, certos interesses que frustam o pensamento e a opinião livre. O antagonismo é uma marca do pensar e opinar que são os polos positivos e negativos. No entanto, jamais devemos deixar que isto venha coibir a liberdade de expressão, ainda que seja contra o sistema. Felizmente o Galindo poderá ter sua voz amplificada pelos múltiplos canais modernos, sem ficar restrito e negociado aos interesses dos que pretendem esconder a realidade. Parabéns, e a certeza de que será muito mais Galindo daqui por diante.

  25. marcelodaluz 6 de novembro de 2018 em 03:56 - Responder

    Certa está a Gazeta, quem lacra não lucra, e esse modelo de jornalismo ‘lacrador’ cansou, quem quiser ler textos em defesa da venezuelização do Brasil e do retorno do pinguço cadeiro da Santa Cândida sempre tem a opção da Foice de São Paulo, último refúgio dos lacradores (sabe-se lá até quando…)

    • Aldo Vianna 6 de novembro de 2018 em 11:46 - Responder

      Boa.

  26. Pedro Luis Catraca 6 de novembro de 2018 em 07:16 - Responder

    É que o cara mentia demais.

  27. odilia elias barbosa 6 de novembro de 2018 em 08:08 - Responder

    Correta a decisão do jornal , afinal tem que existir responsabilidade para garantir a liberdade de opinar , mesmo porque não é verdade o que ele escreveu , apenas devaneios de alguém que claramente demostra preferência por outro candidato

  28. Luis 6 de novembro de 2018 em 08:23 - Responder

    Bem feito escreve bobagem arque com as consequências , se fosse um jornalista sério nao séria demitido , algo deu errado ai 😂😂😂…essa gazeta do povo , o povo nao e mas bobinho como uma certa galera ai acha . A por favor ne esses dois defendendo outro comédia e ainda a culpa e do mito…😂😂😂😂😂

  29. Cris Nastasi 6 de novembro de 2018 em 08:28 - Responder

    Engraçado, por que todos os jornalistas têm de ser de esquerda? Aliás, no Brasil 99,5 por cento são. E tem gente que ainda crítica a Globo, a golpista, mesmo depois de fazer campanha abertamente para o Haddad. Está na hora de parar com essa hipocrisia. A esquerda pode ter blogs pixulecos e supostos jornalistas ‘isentos’? Então é hora da direita ter jornalistas de qualidade escrevendo como acontece na Gazeta.

  30. Eleitor 6 de novembro de 2018 em 09:24 - Responder

    uma pergunta: esse reporter nao participou da investigação jornalistica que apontou varios funcionasmas fantasmas na camara e na assembleia e nao foi também este jornalista que investigou as regalias do judiciario, sendo obrigado a responder processos no Estado todo do Paraná, nas mais diversas comarcas, a ponto dos tribunais superiores terem de intervir a favor do jornalista e seus colegas para suspender a vingança dos judiciario contra o jornalismo invesigativo? O piá é um grande jornaista,

  31. Zóio 6 de novembro de 2018 em 10:00 - Responder

    Vai prá Cuba…lá terá liberdade de escrever o que quiser…com letras vermelhas…já vai tarde.

  32. Luis 6 de novembro de 2018 em 10:11 - Responder

    Você falou corretamente: “jornal em que militou durante 18 anos”. Galindo não é jornalista, é militante. Se é verdade que jornais devem observar o necessário pluralismo, também é verdade que jornalistas devem ter o mínimo de isenção e compromisso com a verdade.

  33. Miguel 6 de novembro de 2018 em 10:19 - Responder

    Era um petista de carterinha. Eu ate cancelei assinatura da Gazeta.

  34. test 6 de novembro de 2018 em 12:57 - Responder

    Péssimo jornalista. Textos totalmente enviesados, nunca ofereceu contraponto, mas sempre atacou a direita. Militante travestido de jornalista, já vai tarde e a Gazeta só ganha com isso.

  35. Carmen 6 de novembro de 2018 em 17:10 - Responder

    A Gazeta acha que na capital do Paraná deve ter só notícia a favor do Governo e de Sergio Moro. Oposição só ganha espaço em críticas horrorosas. Galindo, que é um bom jornalista aguentou muito na redação chapa branca. Sem nenhum contraditório, será sempre só mais um jornalão velho de direita

  36. Samuel 6 de novembro de 2018 em 17:11 - Responder

    Ato falho: disse que o Galindo “militou” na Gazeta. Exato, apenas militou. Chega disso. A Gazeta fez muito mal de abrigar esses militantes disfarçados de jornalistas. Já foi muito tarde embora.

  37. Maria Elisa 6 de novembro de 2018 em 19:32 - Responder

    Fico abismada com determinadas postagens. Tem gente que adora empurrar abismo abaixo quem se encontra prestes a cair. Melhor ficar calado! Esses comentários não acrescentam nada a ninguém. Boca fechada na entra mosca.

  38. Clemente Moreira 6 de novembro de 2018 em 23:25 - Responder

    Tive o prazer de trabalhar com o Galindo, profissional impar. Um ser humano sensacional. Uma grande perda para o já combalido jornalismo paranaense.

  39. Dagotiam ⓟ LPTnão!!! (@Dagotiam) 7 de novembro de 2018 em 07:16 - Responder

    Engraçado o pessoal falar em necessidade de contraponto…vozes dissonantes!!!Quando governos petistas foram contestados ,as “vozes dissonantes” foram chamadas de fascistas,nazistas e outras bobagens esquerdófilas.A Esquerda não aceita NEM A VONTADE DO POVO que mostrou querer alternância de poder…Mas quer que seus militantes sejam intocáveis.Aaaahhh,cresçam e apareçam…

  40. Carmem 16 de novembro de 2018 em 12:31 - Responder

    Força
    A história mostrará

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta