Finalista do Top de Marketing, empresa mostra como ampliou a monetização dos sites de clientes

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
A Premium Ads é finalista do Prêmio Top de Marketing 2021, na categoria Comunicação, com o case “Criando soluções para empresas de mídia tradicional faturarem – e muito – no ambiente online”. A empresa paranaense destacada pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná (ADVB-PR), nasceu em Maringá há seis anos e tornou-se líder nacional do mercado de monetização de sites.

O case finalista conta como a Premium Ads iniciou um plano audacioso para ampliar os resultados dos clientes – R$ 60 milhões já foram distribuídos em verba de mídia para 200 clientes em todo o país –  e escalar seu próprio faturamento, que em 2021 será 170% maior do que em 2020, atingindo R$ 50 milhões.

Mais de 50 trabalhos foram inscritos na 49ª edição do Top de Marketing, cujo tema é “Depois deste ano, você merece um prêmio”, como um reconhecimento aos que fizeram a diferença, por meio de suas ações inovadoras neste período de pandemia. A apuração foi feita por uma plataforma virtual, desenvolvida para a entidade pela Datacenso, que também realiza a auditoria do prêmio, e contou com a avaliação criteriosa de um time de 50 jurados, entre diretores da associação e grandes nomes do mercado. Os vencedores serão conhecidos nesta quarta-feira (8), durante evento no pequeno auditório do Teatro Positivo, em Curitiba, com transmissão ao vivo.

“Estamos muito felizes, temos muito orgulho deste resultado. Surgimos com a observação de um problema/oportunidade em um jornal impresso local e hoje somos os parceiros que possibilitam um faturamento maior no ambiente digital a emissoras Globo, Record, SBT, grandes rádios e jornais de todo o país”, diz Michael Silva.

O case Premium Ads

Em 2016, percebendo o jornal impresso de sua família, em Maringá, perder faturamento, o empreendedor Michael Silva viu a necessidade de soluções para faturar na versão online do jornal. Então, junto de seu sócio Leandro Lanceloti, vislumbrou que outros inúmeros veículos de mídia tradicional também passavam pelo desafio de monetizar seu conteúdo no ambiente online. Assim, criou a Premium Ads, empresa para ajudar empresas tradicionais de mídia a faturarem mais e conquistarem parte da fatia de mídia da Internet, descomplicando o processo de venda de mídia programática.

Em 2020, na pandemia, o cenário ficou mais difícil para os veículos de mídia. Com o varejo e serviços fechados, consumidores direcionaram suas compras para plataformas digitais e muitos anunciantes suspenderam veiculações ou diminuíram a verba em mídia tradicional para migrar investimentos para o digital.

A Premium deu início a um plano audacioso com a contratação de novos colaboradores, busca por novas tecnologias, especialização para oferecer serviços mais personalizados de forma a ampliar os resultados dos clientes, conquista de mais clientes e escalar em seu faturamento.

Além de faturar 170% acima do resultado de 2020, a Premium Ads demonstra em seu case a importância do serviço prestado à sociedade, ao contribuir para a longevidade de empresas tradicionais de mídia e para a manutenção da produção de conteúdo confiável – imprescindível em um mundo assolado pelas fake News.

O modelo de negócios da Premium consiste em perceber uma remuneração atrelada ao faturamento que seus clientes – publishers, veículos ou produtores de conteúdo – conquistam no ambiente online. Por isso, quanto maior o sucesso de faturamento de seus clientes, maior será o faturamento da Premium também.

Desta forma, encontrar formas de buscar mais clientes e, principalmente, conseguir oferecer soluções que lhes permitam faturar mais é vital para o modelo de negócios da empresa.

Além disso, a Pandemia entendeu a urgência de as empresas de mídia tradicional estarem de forma profissional e competente no ambiente online – não apenas para faturar mais, mas para sobreviver. Esta era uma grande oportunidade para a Premium, mas era preciso agir rápido e fazer os investimentos e esforços necessários para aproveitar da melhor forma esta oportunidade.

De acordo com o CENP (Conselho Executivo de Normas Padrão), o cenário é de perdas para os veículos impressos de comunicação e para as emissoras de TV aberta no bolo publicitário nacional. Em contrapartida, a participação da internet cresceu absurdamente, passando de 5,1% em 2011 para 28,2% no 1º semestre de 2021.

“Percebemos que a maioria das empresas de mídia tradicional deixa de faturar no ambiente online, não por falta de conteúdo. Mas por falta de conhecimento no mundo digital, em mídia programática, tecnologia ou por terem sites que não exploram ao máximo sua capacidade de faturamento”, diz Michael Silva.

Principalmente com a pandemia, a Premium Ads enxergou aí uma grande oportunidade para expandir seus negócios, ao fortalecer a empresa para oferecer a solução que estes veículos precisam para faturar online. “Para isso, entendemos que precisaríamos passar credibilidade e buscamos certificações importantes que nos credenciassem, além de investimos para oferecer serviços que, de fato, trouxessem grande resultado de faturamento para estes clientes”, acrescenta Leandro Lanceloti.

(Na foto, Michael Silva e Leandro Lanceloti)

 

 

Deixe uma resposta