Federação pede cassação do mandato de Dallagnol por gastos na pré-campanha

Diante de indícios de desvio de verbas públicas durante a pré-campanha de Deltan Dallagnol (Podemos-PR), a Federação Brasil da Esperança no Paraná, composta pelo PT, PCdoB e PV, ajuizou na noite desta segunda-feira (09) representação eleitoral em face do deputado federal eleito requerendo a investigação de possíveis condutas ilegais, relativas à arrecadação e gastos de recursos públicos.

Entre fevereiro e julho de 2022, Matheus Almeida Rios Carmo, ex-estagiário de Deltan no Ministério Público Federal (MPF), recebeu cerca de R$ 100.000,00 do Podemos Paraná para uma “consultoria política”, sem contraprestação dos serviços.

Segundo a ação, o pagamento deve ser investigado, pois pode revelar o custeio de despesas pessoais e de pré-campanha de Deltan com recursos do fundo partidário. A petição ainda pede que Deltan comprove os valores e a origem dos recursos usados para custear despesas não contabilizaras em prestação de contas. Se comprovadas as acusações, Dallagnol pode ser cassado e ficar inelegível até 2030.

O presidente da Federação, deputado estadual Arilson Chiorato (PT), destaca que a ação é baseada na Lei da Ficha Limpa. “Queremos transparência. Deltan deve seguir as regras democráticas como qualquer outro cidadão que coloque seu nome em uma disputa eleitoral. É simples, se suas contas estiverem de acordo com a Lei, não há o que Deltan e seu partido temerem”.

Para Luiz Eduardo Peccinin, advogado da Federação, o objetivo do pedido é dar chance ao Podemos e a Deltan para que comprovem a regularidade de sua campanha eleitoral. “A transparência sempre foi um valor defendido pelo ex-procurador, então confiamos que ele não irá se opor em abrir o sigilo de seus gastos para a sociedade brasileira”. (Da Assessoria de Imprensa da Federação).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: