Desemprego no Brasil é de 14,4% no trimestre encerrado em agosto

O desemprego no Brasil saltou para uma taxa recorde de 14,4% no trimestre encerrado em agosto, atingindo 13,8 milhões de pessoas, com um fechamento de 4,3 milhões de postos de trabalho em apenas 3 meses. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a maior taxa já registrada na série histórica da pesquisa, iniciada em 2012. A informação é do G1.

O índice de 14,4% corresponde a um aumento de 1,6 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em maio (12,9%), e de 2,6 pontos percentuais frente ao mesmo intervalo do ano passado. O resultado ficou acima da mediana das expectativas de 28 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, que apontava para uma alta da taxa para 14,2%.

De acordo com o G1, O número de desempregados atingiu 13,8 milhões, aumento de 8,5% frente ao trimestre anterior. São cerca de 1,1 milhão de pessoas a mais à procura de emprego frente ao trimestre encerrado em maio. Já na comparação anual, subiu “, destacou o IBGE. No mesmo trimestre de 2019, o país tinha 12,6 milhões de desempregados.

A pesquisa do IBGE também mostra que:

  • O país atingiu o menor número histórico de trabalhadores ocupados

  • O nível de ocupação no mercado de trabalho atingiu o menor patamar histórico

  • Das 4,3 milhões de vagas perdidas em três meses, metade era de carteira assinada

  • Segmentos de comércio, alojamento e alimentação foram os que mais perderam vagas

  • O número de trabalhadores informais é o menor de toda a série histórica da pesquisa

  • Contingente de trabalhadores domésticos (4,6 milhões de pessoas) também é o menor da série.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui