Em novo capítulo da novela protagonizada pelo deputado Plauto Miró Guimarães (DEM), o ex-primeiro-secretário da Assembleia Legislativa que na terça-feira (12) disse conhecer e ter documentos sobre “deputados gulosos”, seu colega Luiz Carlos Martins (PP) usou a tribuna nesta quarta (13) para cobrar de Plauto a identificação nominal desses parlamentares.

Martins lembrou, no entanto, que Plauto citou nominalmente o chefe da Casa Civil, deputado licenciado Guto Silva, como um dos supostos “gulosos”, que passa agora a ter o dever (e o direito) de dar explicações à Assembleia.

Luiz Carlos Martins deu apoio a requerimentos apresentados por Plauto Miró que pedem de Guto Silva informações detalhadas sobre altos salários pagos a diretores da Copel e também sobre a iniciativa do governador Ratinho Jr. de propor emenda constitucional extinguindo a aposentadoria de ex-governadores e pensões pagas às suas viúvas.

O presidente da Assembleia, Ademar Traiano, se mostrou constrangido, principalmente após Plauto Miró, em aparte, ter revelado que Traiano o chamou de “louco”. E emendou: “Não sou louco; só não quero segurar a vaca para os outros mamarem”.