O comandante-geral da Polícia Militar do Paraná (PMP), coronel Péricles de Matos, disse nessa quinta-feira n(28), em palestra a diretores da Associação Comercial do Paraná (ACP), que estima um crescimento dos índices de criminalidade depois de passado o período de difusão do vírus, uma vez que deve aumentar bastante o desemprego. Convidado pelo presidente da entidade, Camilo Turmina, o comandante da PM abordou aspectos relativos ao cenário da segurança pública pós-pandemia do coronavírus..

Péricles de Matos, 54 anos, está na PM há 34 anos e foi convidado para ser comandante-geral da PM pelo governador Ratinho Junior no início do ano passado. Além de policial-militar, é formado em Direito pela PUC-PR. Ele é especializado em gerenciamento de crises. O coronel Péricles destacou que os órgãos de segurança já planejam as ações para o período pós-pandemia. “O que enfrentamos com a Covid-19 é algo nunca vivenciado pela sociedade e por isso todos os cuidados precisam ser tomados, tanto para evitar a difusão da doença, como planejar as ações para depois que a pandemia passar”, disse o oficial. A PM paranaense estima um crescimento dos índices de criminalidade depois de passado o período de difusão do vírus, uma vez que deve aumentar bastante o desemprego. “Estimamos que o Paraná tenha mais 5 mil desempregados ao final da pandemia e muitos acabam migrando para a criminalidade com a falta de perspectivas. A Polícia Militar se prepara para este possível aumento do número de crimes”, disse o coronel. Historicamente os índices de criminalidade são inversamente proporcionais ao PIB (Produto Interno Bruto) e como a tendência é de uma forte queda deste índice, a criminalidade deverá crescer. “Nestes anos de atuação na PM, posso dizer aos senhores que nenhuma ação de combate à criminalidade funciona sem a participação da sociedade civil. A PM faz a sua parte, mas a população tem papel fundamental na melhoria da sua segurança”, falou o comandante.

Outro fator de preocupação para o comandante-geral da PM é que por determinação da Justiça, cerca de cinco mil condenados do sistema penal foram postos em liberdade por conta da Covid-19. “Não se fez uma distinção dos crimes cometidos e até chefes de organizações criminosas foram libertados”, citou o policial militar. Mas pensando na recuperação econômica, Péricles de Matos destaca que o Paraná tem o agronegócio muito forte e que a tendência é de que a economia do estado se recupere rapidamente depois da pandemia.