O Bitcoin Banco, que apesar do nome, na verdade não é um banco nem instituição financeira, dono das corretoras de criptomoedas Negociecoins, BATexchance e TemBTC, informou que vai manter a limitação de pedidos de saques dos clientes em R$ 10 mil por dia com um teto de R$ 50 mil por mês. A empresa informou ainda que o pagamento dos saques pedidos não tem prazo definido, devido ao grande volume de solicitações pendentes, segundo informa a revista Exame, após investidores reclamarem da impossibilidade de resgate das aplicações que fizeram. Ações na justiça tramitam em vários estados.

A empresa suspendeu os resgates no dia 28 de maio, denunciando que havia sido vítima de fraudes que levaram a perdas com resgates irregulares de R$ 50 milhões, e prometendo uma solução até 5 de junho. Pouco antes, em 20 de maio, o grupo teve suas contas correntes encerradas pelo Banco Brasil Plural, o que, segundo o Bitcoin Banco, teria dificultado os pagamentos. A Negociecoins e outras empresas do grupo, e o dono da empresa, Claudio Oliveira, tiveram R$ 726 mil bloqueados pela Justiça na segunda-feira para pagamento de um credor.

Dia 5, no fim do prazo dado pela empresa, o próprio Oliveira gravou um pronunciamento em vídeo afirmando que as operações vão voltar à normalidade, mas não deu novos prazos. Ele anunciou ainda que comprou uma empresa de arranjos de pagamento regulada pelo Banco Central (BC) para ajudar a solucionar os problemas das empresas, que tiveram suas contas correntes encerradas pelo Banco Brasil Plural. Ele não informou, porém, o nome da empresa comprada.