Alvaro Dias, o Sem Penduricalho

(por Ruth Bolognese) – Pelos próprios cálculos, o senador Alvaro Dias dispensa R$50 mil mensais (auxílio moradia e verbas indenizatórias do Senado) e já deixou de ganhar R$ 10 milhões por ter dispensado, há 26 anos, a aposentadoria como ex-governador. – “É o ônus da coerência”, diz nesse vídeo que circula pela internet.

O senador não deixa de lembrar que a aposentadoria de ex-governadores é um benefício que nenhum ex-governador abriu mão, aí incluídos os que assumiram o governo por pouco tempo e suas viúvas. A mãe do governador Beto Richa, dona Arlete, por exemplo, recebe o benefício.

O assunto já foi debatido em várias ocasiões aqui no Paraná, chegou à Assembleia Legislativa, mas nenhum deputado teve coragem de votar o fim desse privilégio. Há anos não se fala mais nisso. Há uma ação da OAB/PR parada há anos no STF.

Na realidade, e são esses privilégios que também contribuem para esse déficit gigantesco da previdência, todo brasileiro deveria se aposentar com um salário relacionado diretamente à própria contribuição. O resto é penduricalho mesmo.

Ora, se um político assume o governo por um período, já tem o direito à aposentadoria de um governador que ficou 4 ou 8 anos no poder. E até mesmo o governador teria de ter direito relativo ao que contribuiu. Assim como deputados, senadores, juízes e o escambau.

É assim que o INSS faz o cálculo para todos os demais trabalhadores brasileiros.

2018-02-06T14:57:42+00:00 06 fevereiro - 2018 - 12:26|Política|0 Comentários


Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta