Vereador sugere que comércio atenda vacinados nos dias de lockdown em Curitiba

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

O vereador Dalton Borba (PDT) apresentou uma proposta para que o Poder Executivo estude a viabilidade de adotar novos protocolos sanitários para pessoas que já foram vacinadas contra a Covid 19 em Curitiba. O requerimento com a sugestão de ato administrativo foi aprovado por unanimidade pelo plenário, e visa a retomada econômica em meio a pandemia.

O objetivo é que o comércio possa atender aqueles que já foram imunizados com as duas doses, mesmo com restrições de funcionamento mais rígidas para a população em geral. O parlamentar cita como exemplo os supermercados, que não poderão abrir aos domingos durante o atual decreto em vigor, mas que, com protocolos diferenciados, poderiam atender exclusivamente esse público nos dias em que deveriam estar fechados. Seria uma espécie de passe livre, um passaporte para quem já recebeu as duas doses da vacina contra a Covid 19 no município.

O vereador argumentou que a sugestão é uma forma de contribuir para a solução do problema econômico na cidade e busca permitir com que pessoas já vacinadas possam retomar sua rotina fora de casa. A medida, se adotada pela prefeitura, poderia “diminuir as aglomerações nos demais dias da semana”. “Quem está imunizado não corre mais risco, pode circular e consumir. Proponho que a gente tenha um olhar que não estabeleça a separação entre saúde e economia. Se tivéssemos o mercado aberto aos domingos, pelo menos para as pessoas que estão imunizadas, tiraríamos um número significativo de pessoas durante a semana”, declarou Borba.

Outra medida aprovada pelos vereadores, e que visa a retomada econômica do setor comercial proposta pelo vereador Dalton Borba, e encaminhada à prefeitura sugere que, caso a bandeira vermelha seja retomada para fins de controle sanitário da pandemia em Curitiba, seja instituído rodízio, com alternância dos números prediais, possibilitando a abertura do comércio. “O comércio em geral está desesperado com a crise. E nós podemos, através destas propostas, contribuir com apoio para esta classe econômica. 80% da economia é fomentada por micro e pequenas empresas. A segunda onda da Covid não será a onda de contágios, mas uma onda de falências no setor econômico”, defendeu Dalton Borba.

Deixe uma resposta