Licitação para duplicar Rodovia das Cataratas será lançada em novembro

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Dentro de dois meses, ou seja, até novembro deste ano, deve ser lançada, de forma recorde, a licitação da obra de duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas, autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro. A autorização foi feita no final de agosto, pelo governo federal, em Foz do Iguaçu. Boa parte do financiamento da obra, uma das mais esperadas pela população local e que fortalecerá o turismo da região, é de responsabilidade da Itaipu Binacional. A previsão de conclusão é até 2024.

Conforme explica o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, uma vez dada a largada pelo presidente Bolsonaro, o próximo passo será a assinatura de dois convênios: entre o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e, também, entre o DER-PR e a Itaipu. Paralelamente, o projeto está sendo revisado para algumas atualizações.

“Essa obra é um desejo antigo do setor turístico de Foz porque vai impactar positivamente naquele que é principal corredor utilizado pelos turistas que visitam a Terra das Cataratas, ligando o centro da cidade ao Parque Nacional do Iguaçu e à Argentina, e passando por diversos hotéis e outros atrativos”, avalia Silva e Luna.

A expectativa é que esses trâmites burocráticos sejam vencidos até o próximo mês de novembro, quando o DER-PR deverá lançar o processo de licitação. Uma vez lançado, estima-se que a contratação e o início das obras deverão ocorrer até o mês de março de 2021. A conclusão da duplicação, por sua vez, está prevista para março de 2024 (36 meses de execução).

A duplicação abrange os 8,7 quilômetros de extensão da rodovia, com um custo total de R$ 139,4 milhões, sendo quase a totalidade (R$ 136,3 milhões) bancada por Itaipu – ficando a diferença para o governo do Paraná. O projeto executivo da obra – também doado pela binacional – prevê, além da segunda pista, a construção de um viaduto, três trincheiras, uma ponte elevada (sobre o Rio Tamanduá), duas passarelas de pedestres, dois pontos de passa-fauna e uma rotatória em nível. Também estão previstas pistas marginais em toda a extensão, assim como uma ciclovia bidirecional compartilhada.

A nova Rodovia das Cataratas faz parte de um conjunto de investimentos feitos pela Itaipu em obras em Foz e região que soma mais de R$ 1 bilhão. Toda a aplicação do repasse desses recursos está sujeita ao controle do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).

A obra também está alinhada com a estratégia do governo federal de incentivar investimentos que vão contribuir com a recuperação da economia no cenário pós-pandemia de covid-19. Somente no mês de agosto, o Ministério da Infraestrutura entregou 14 obras pelo País, além de promover outras iniciativas nas áreas de concessões e logística. A expectativa do governo federal é que os investimentos em infraestrutura totalizem R$ 4,5 bilhões neste segundo semestre de 2020. (Da Itaipu Binacional).

Deixe uma resposta