Preso deixa de ser problema da Polícia Civil. Agora é com o Depen

A governadora Cida Borghetti assina nesta quarta-feira (7) decreto que transfere a gestão de 37 carceragens administradas atualmente pela Polícia Civil ao Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen-PR), coordenado pela Secretaria Especial de Administração Penitenciária.

Com isso, o Depen, responsável pela guarda de presos no estado, assume a gestão plena destas unidades que hoje abrigam cerca de 6,1 mil presos. A medida liberará cerca de 1,1 mil policiais civis para o trabalho investigativo e de prestação de serviços à população.

2018-11-06T17:02:26+00:00 06 novembro - 2018 - 15:02|Política|3 Comentários


3 Comentários

  1. João Paulo 6 de novembro de 2018 em 16:37 - Responder

    Daí o Rato vai lá e unifica o Depen à Policia Civil ano que vem… Pronto!!! Vai dar nulidade a este decreto que veio apenas melhorar a vida dos Poilciais Civis.

  2. Aldo Vianna 6 de novembro de 2018 em 17:01 - Responder

    Ah tá . . . e o material humano necessário pra essa empreitada, existe??

  3. Fiotão dos Campos Gerais 7 de novembro de 2018 em 12:00 - Responder

    O Problema é do povo. A PC não quer trabalhar. O DEPEN não quer trabalhar. No frigir dos ovos vem alguma determinação judicial, vem alguma ordem, alguma gritaria e mandam a PM fazer. E de onde saem os recursos para escoltas, Guarda de presos e muralhas??? Da PM. Que sai das ruas e deixa o cidadão desamparado. A PM cuida do preso e o bandido age nas ruas. Em Londrina isso aconteceu e a população perdeu quatro viaturas e quatro equipes de policiais militares que deixaram de fazer patrulhamento e foram fazer serviços dos outros. Uma brincadeira de mal gosto com o cidadão paranaense.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta