As minúsculas bancadas da oposição na Assembleia Legislativa, como MDB e PT, não tiveram a curiosidade de saber como e com quê avião o governador Ratinho Jr. faz suas viagens desde que, nos primeiros dias do mandato, cancelou o contrato de locação de um jatinho que mantinha com uma empresa privada de táxi aéreo. A intenção, anunciada à época, é que passaria a usar a aeronave da Copel, mas que isto ainda dependia de um convênio a ser firmado com a empresa. Não se teve mais notícias sobre o tal convênio.

À falta de curiosidade da oposição, o deputado Plauto Miró Guimarães respondeu na sessão desta segunda-feira (11) com a apresentação no plenário de um requerimento solicitando apresentou no plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) requerimento solicitando ao chefe da Casa Civil informações sobre o uso do avião da Copel. Plauto, como se sabe, é do DEM, partido que integrou a aliança de apoio à reeleição de Cida Borghetti, mas que tão logo Ratinho Jr. ganhou a eleição passou a cumprir sua vocação governista.

Em seu requerimento, Plauto quer saber se os diretores da empresa fazem uso da aeronave, assim como secretários de estado, governador e vice. Outra pergunta é sobre o custo por hora de voo das eventuais viagens desde o início de 2019, além dos destinos e os nomes dos passageiros. Plauto também solicita detalhes sobre os custos gerais que envolvem a utilização do avião.

O requerimento também pede detalhes sobre a suspensão do processo de venda da aeronave da Copel aberto pelo governo do estado no ano passado. Nos meses de setembro e novembro de 2018 foram feitas duas tentativas de vender a aeronave, um bimotor King Air B300 adquirido em 2012, avaliado em cerca de R$ 12 milhões.

Plauto lembrar que um dos primeiros atos do atual governo foi cancelar o contrato de locação de outra aeronave que era usada pelo chefe do executivo estadual. “O próprio governador vem anunciando medidas para evitar gastos excessivos do dinheiro público e precisamos ajuda-lo nisso”, disse.