MP abre inquérito para investigar subsídio para empresas de ônibus

O Ministério Público Estadual instaurou Inquérito Civil para investigar a legalidade do repasse de até R$ 200 milhões que a prefeitura de Curitiba pretende fazer às empresas de transporte coletivo para cobrir prejuízos causados pela redução do número de passageiros pagantes desde o início da pandemia de coronavírus.

O subsídio extra está previsto em leis e decretos instituídos entre as medidas emergenciais adotadas no mês de março passado. O Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge) e o professor Lafaiete Neves deram entrada em Notícia de Fato perante o Ministério Público que, após verificação dos procedimentos – já questionados também pelo Tribunal de Contas – decidiu ir além e instaurar o inquérito.

De acordo com a 1.ª Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público, o objetivo do inquérito “apurar a (ir)regularidade dos repasses de valores pela Prefeitura, em auxílio às empresas do transporte coletivo de Curitiba, em razão da pandemia do vírus COVID-19″.

Veja o despacho da promotora Luciane Mellusso Freitas:

1 COMENTÁRIO

  1. Um ônibus convencional custa 260 mil reais. Portanto os 200 milhões daria para comprar uma frota de 800 ônibus O Km, o que equivale a 65% da frota total. Se o dinheiro fosse do gestor ele iria dar o dinheiro para o prestador de serviços, ou gastaria 300 milhões para colocar os 1.200 ônibus que seriam seus?
    Não venham os defensores de “torrar o dinheiro público ” dizer que ainda teriam as despesas, as despesas o passageiro paga e também pelos lucros .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: