Moraes fixa prazo de 30 dias para depoimento presencial de Bolsonaro

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nessa quinta-feira (7) que a Polícia Federal (PF) colha presencialmente e em até 30 dias o depoimento do presidente Jair Bolsonaro no inquérito que apura denúncias de interferência política na PF. O caso foi revelado pelo então ministro da Justiça Sérgio Moro.

A decisão do ministro vem depois que a Advocacia-Geral da União (AGU) voltou atrás e se posicionou a favor do depoimento presencial, abandonando a defesa anterior de que este deveria ser feito por escrito. Segundo o órgão, Bolsonaro tem essa prerrogativa em função do cargo que ocupa.

Já para o ex-ministro Celso de Mello, antigo relator do caso que se aposentou em outubro 2020, o depoimento escrito só seria possível se Bolsonaro constasse como testemunha no caso, não como investigado.

Depois do parecer da AGU, Moraes suspendeu julgamento no Supremo na quarta-feira (6) que julgaria se o recurso da Advocacia a favor do depoimento escrito.

O inquérito, aberto em abril, analisa denúncias feitas pelo então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, de que o presidente Jair Bolsonaro buscou intervir pessoalmente na Polícia Federal, com o intuito de proteger familiares e amigos de investigações. (Do Congresso em Foco).

 

Deixe uma resposta