Ministério Público pede a Greca explicações sobre ajuda a empresas de ônibus

O Ministério Público do Paraná pediu que o prefeito Rafael Greca dê explicações sobre a lei de sua autoria que concede repasse de até R$ 200 milhões para as empresas de ônibus de Curitiba para cobrir os alegados prejuízos que estariam sofrendo com a queda do número de passageiros que vem sendo verificada desde meados de março, quando foram decretadas medidas de confinamento da população para enfrentamento da pandemia de coronavírus.

A concessão da ajuda está prevista na Lei 15.627/2020 que instituiu o Regime Emergencial de Operação e Custeio do Transporte Coletivo de Curitiba.

A abertura do procedimento pela Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público atende a pedidos feitos pelo Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge/PR) e pelo professor Lafaiete Neves, conselheiro titular do Conselho da Cidade de Curitiba (Concitiba), colegiado criado pela prefeitura e que reúne entidades de vários setores de interesse urbano.

Ofícios da Promotorias foram encaminhados, além de para o prefeito Rafael Greca, também para o presidente da Urbes, Ogeny Maia, para que respondam basicamente as seguintes questões:

  1. Se houve procedimento administrativo para definir a ajuda às empresas de ônibus e, em caso positivo, que anexem os documentos;
  2. Se houve estudos técnicos que comprovem os alegados prejuízos sofridos pelas empresas para a definição de repasse de R$ 20 milhões mensais;
  3. Discriminação das fontes orçamentárias remanejadas para permitir os repasses;
  4. Esclareçam o montante de prejuízos financeiros que a prefeitura sofrerá;
  5. Explicitem que autoridade municipal está encarregada de fiscalizar a aplicação dos recursos.

O Ministério Público, ao abrir a existência da notícia de fato, cita que as entidades anexaram informações publicadas por este Contraponto e pelo site G1.

Veja a íntegra do documento expedido pelo MP:

3 COMENTÁRIOS

  1. Greca faz o jogo do transporte coletivo. Ney Leprevost dos pedageiros. Todos amarradinhos entre si vi pontos comuns. Advogados, negócios, agrados.
    Ambos acima são “sensíveis”, sendo que um demonstra mais e o outro demonstra menos. Em que pese os dois gostarem da mesma coisa.Curitiba precisa de um nome à sua altura.
    Que falta nos faz Saul Raiz.
    Que falta nos faz Roberto Requiao.
    Que falta nos faz Mauricio Fruet.
    Quanto à peça ofertada pelo douto MP-PR: poderia ser muito melhor. Aparentemente foi voo solo da promotora. Sem muito apoio do CAOP. Resta saber se é ideológico ou fomento ou ambos.

    “Tenham todos um bom final.”
    Comandante Garcez

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui