Médicos e enfermeiros de HUs anunciam greve a partir de quinta

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Representantes sindicais dos funcionários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) comunicaram nesta segunda-feira (10) à empresa que vão entrar em greve a partir desta quinta-feira (13).

A Ebserh é uma estatal vinculada ao MEC. Seus mais de 32 mil funcionários trabalham em 40 hospitais universitários nas cinco regiões do Brasil, incluindo o Hospital de Clínicas (HC), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Há meses, os funcionários, que incluem médicos, enfermeiros e farmacêuticos, protestam contra proposta da estatal para um novo Acordo Coletivo de Trabalho. Seu ponto mais controverso é a mudança na base de cálculo do adicional de insalubridade. Pela nova proposta, o adicional será pago com base no salário mínimo, em vez de proporcionalmente ao salário do funcionário.

Agora a empresa [Ebserh] que assuma a culpa, porque não foi falta de alerta nem de aviso”, disse a O Antagonista Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef). Em 27 de abril,,  entidades sindicais aprovaram indicativo de greve.

“Se já está difícil utilizar os hospitais públicos, a partir do dia 13 vai ter uma dificuldade a mais por conta da questão desse problema de greve que vai se instalar no Brasil todo”, acrescentou o dirigente sindical. Ele afirmou que os sindicatos ainda vão discutir uma “cota mínima” de cerca 30% de funcionamento para manter o que julga serem os serviços emergenciais.

Assembleias em diferente Estados ainda discutem nesta segunda (10) se aderem ou não à greve.

A Ebserh argumenta que prevê também aumento linear de R$ 500 para todos os empregados, e que sua proposta significa ganho real mensal para mais de 15 mil profissionais”. A estatal também destaca que as mudanças só valerão depois do fim da pandemia.

Procurada pelo blog O Antagonista, a Ebserh confirmou ter recebido o comunicado de greve, e disse que irá se manifestar em breve. Questionada desde 28 de abril sobre o assunto, a estatal ainda não respondeu quanto estima economizar por ano com a nova proposta. (De O Antagonista).

 

Deixe uma resposta