Lote 2 do novo pedágio garante pista tripla entre Curitiba e Paranaguá

Lote 2 das novas concessões rodoviárias do Paraná, publicado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), vai transformar o Litoral do Paraná num canteiro de obras. A principal conexão entre o Interior e a Capital ao Litoral é a BR-277, que terá obras desde o Jardim Botânico de Curitiba até a Avenida Portuária em Paranaguá.

Esse é o primeiro texto da nova série da Agência Estadual de Notícias (AEN) que apresenta as principais obras do Lote 2, que engloba Litoral, Campos Gerais e Norte Pioneiro. Os próximos textos vão detalhar as obras em Paranaguá, em Morretes, na ligação Ponta Grossa – Sengés, Jaguariaíva – Jacarezinho e Cornélio Procópio – Jacarezinho.

Três pistas

No Lote 2, a concessão da BR-277 vai do perímetro urbano da capital paranaense até o viaduto da Avenida Ayrton Senna da Silva, na entrada do município que sedia o maior porto do Paraná.

O trecho de aproximadamente 81 quilômetros da rodovia federal, que já é duplicado, vai ganhar faixas adicionais nos sentidos crescente e decrescente em praticamente todo o trajeto (apenas quatro quilômetros ficarão sem três faixas em ao menos um dos sentidos), além de vias marginais em segmentos no perímetro urbano de Curitiba e na entrada de Paranaguá.

Com isso, a descida da Serra do Mar terá três pistas, facilitando a movimentação até o Porto de Paranaguá, que projeta alcançar 60 milhões de toneladas movimentadas já neste ano, e de turistas em direção aos municípios que compõem a região.

O edital também prevê sete novos viadutos no trecho, sendo dois do tipo Diamante, em que há uma saída e um acesso para a rodovia principal em ambos os sentidos, pela pista da direita: um no km 23,8, entroncamento com a PR-804 e acesso para Morretes, garantindo que ambos os acessos para o município contem com uma interseção em desnível; e outro no km 35,8, próximo a uma via municipal de Morretes. As outras cinco estruturas são do tipo Retorno em Desnível, nos km 15, 20, 44,5, 50,5 e 54,7.

Serão duas correções de traçado, uma no km 32, ponto em que as pistas se dividem, e outra no km 51,2, de curva muito fechada.

Área de escape

Também será implantada uma área de escape na altura do km 46, em área de curva fechada e de descida íngreme, e um sistema de iluminação de trecho em serra, em ambos os sentidos da via, do km 31,5 ao km 46,5, em um total de 15 km de nova iluminação viária. Esse é o trecho mais sinuoso da serra.

Os ciclistas da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) serão beneficiados com aproximadamente 23 km de ciclovia, iniciando do entroncamento com a Rua Vicente de Carvalho e seguindo até a antiga praça de pedágio da Ecovia, em São José dos Pinhais. Para os usuários de bicicleta no Litoral, serão 800 metros de faixa exclusiva na chegada em Paranaguá. As obras serão executadas a partir do terceiro ano do contrato. (AEN; Foto: Roberto Dziura Jr/AEN).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui