A decisão da Assembleia Legislativa que, nesta manhã de quarta-feira (15), extinguiu a aposentadoria para os futuros ex-governadores, permite uma leitura em sentido inverso: a Assembleia garantiu a a continuidade do pagamento de aposentadoria aos oito ex-governadores e três viúvas que já recebem o benefício mensal de R$ 30 mil.

Isto vale, por exemplo, para o ex-governador Beto Richa que, tão logo perdeu a eleição para o Senado em outubro do ano passado, apressou-se em requerer sua aposentadoria, que passou a receber em janeiro de 2019, mesmo mês em que cumpriu sua segunda temporada de prisão – a primeira foi em setembro de 2018 e a terceira em março.

Continuarão recebendo os ex-governadores Orlando Pessuti, Roberto Requião, Mario Pereira, Jaime Lerner, João Elísio Ferraz de Campos, Paulo Pimentel, além das viúvas de José Richa, João Mansur e Mário Gomes. A viúva do governador Jayme Canet Jr., dona Lourdes, se recusou a requerer a pensão a que teria direito.

A manutenção da aposentadoria para os que já recebiam foi possível graças à falta de seis votos favoráveis a uma emenda do deputado Homero Marchese que dava efeito pretérito à PEC aprovada nesta manhã.

Os seis deputados que assinaram como co-autores da emenda, mas que se ausentaram da sessão foram os seguintes: Mara Lima, Douglas Fabrício, Reichembach, Soldado Fruet, Coronel Lee e Márcio Pacheco.