Grupo de Curitiba volta a aparecer em contratos de hospitais no RJ

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

A TV Globo do Rio de Janeiro e o Portal G1 voltaram nesta quarta-feira (26) a mencionar empresas, empresários e políticos de Curitiba como participantes dos contratos de prestação de serviços médico-hospitalares firmados com o governo de Wilson Witzel e investigados pela Polícia Federal e Ministério Público.

Os contratos originais tinham sido firmados com a empresa Iabas (Instituto de Atenção Básica de Saúde) e envolviam o pagamento de R$ 770 milhões do governo fluminense para a construção e administração de sete hospitais de campanha para atendimento de pacientes da Covid-19. O grupo Hygea, de Curitiba, ligado ao advogado Roberto Bertholdo e ao vereador Pier Petruzzielo, foi terceirizado pelo Iabas para fornecer médicos e profissionais de apoio a estes hospitais ao custo de R$ 133 milhões.

A Globo Rio, no telejornal RJ2, noticia agora que um hospital do município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que deveria ser administrado pelo Iabas, foi transferido para o Hygea sob suspeita de ter sido beneficiado por uma articulação política que teve à frente o advogado curitibano Roberto Bertholdo, representante do Iabas perante a gestão Witzel.

Veja o que diz o Portal G1 e, ao final, o vídeo produzido pela Globo Rio:

1 comentário em “Grupo de Curitiba volta a aparecer em contratos de hospitais no RJ”

  1. Bertholdo sempre teve bons advogados e bons resultados em suas demandas, desde a operação Furacão e o caso da CC5 ele sempre sai ileso. O cara é uma lenda. Foi capa da IstoÉ por seus feitos. Uma história de filme mesmo. O Moro que o diga.

Deixe uma resposta