Greca recebe críticas no primeiro debate em Curitiba

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

A crítica à administração do prefeito Rafael Greca (DEM) marcou o primeiro debate eleitoral promovido pela Band TV . Greca não participou do evento, como já havia anunciado anteriormente. As críticas focaram  a falta de atitudes mais firmes diante da pandemia da covid-19, o auxílio dado às empresas de ônibus, a falta de segurança pública ,o congelamento nas carreiras do servidores municipais, os contratos do lixo, o aumento no número de moradores de rua e a terceirização da saúde em Curitiba. A ausência de Greca, todavia, impediu que as críticas fossem mais contundentes ou mais aprofundadas.

As críticas partiram principalmente de João Arruda (MDB), João Guilherme (Novo) e Fernando Francischini (PSL). O debate começou às 22h30 de quinta-feira e terminou à 0h14 desta sexta-feira(2), sendo mediado pela jornalista Alessandra Consoli. Também participaram Marisa Lobo (Avante), Camila Lanes (PCdoB), Professor Mocelin (PV) e Paulo Opuszka (PT).

Promessas – Em vários momentos do debate, os candidatos prometeram uma administração melhor para a cidade e seus moradores. João Arruda, por exemplo, prometeu desapropriar as garagens do transporte coletivo de Curitiba e interligar por meio de viadutos os bairros que foram separados pela Linha Verde, além de concluir a própria linha. João Guilherme prometeu enxugar a máquina da administração municipal, lançar um estímulo fiscal na área da coleta e processamento do lixo, e criar um fundo de aval para ajudar os pequenos empreendedores a pagar compromissos tributários. Fernando Francischini disse que vai melhorar a segurança pública da cidade e prometeu instituir um auxílio emergencial curitibano, além de flexibilizar os planos de carreira do funcionalismo. Paulo Opuszka, por sua vez, disse que irá descongelar a carreira do funcionalismo público municipal, especialmente dos professores e profissionais da área da saúde. O Professor Mocelin dirigiu suas promessas à valorização da mulher, como a criação de uma secretaria específica, e à valorização dos professores. Camila Lanes também focou suas promessas em torno da valorização das mulheres curitibanas que, segundo ela, são 53% do eleitoral da cidade. Já Marisa Lobo prometeu uma administração voltada para o conservadorismo, seguindo a linha do presidente Jair Bolsonaro.

 

 

 

1 comentário em “Greca recebe críticas no primeiro debate em Curitiba”

  1. Isso é formação de bando: os caras já deviam saber que Seguranca é do Gov do Estado: estão querendo fazer estelionato eleitoral: lamentável

Deixe uma resposta