Francischini desvia o foco e acusa procuradora de agir por vingança

O deputado Fernando Francischini atribui a um ato de vingança da procuradora eleitoral Eloisa Helena Machado a abertura de uma ação que propõe a cassação do mandato dele, acusando-o de praticar ilícitos graves na captação e gastos na campanha que o elegeu deputado estadual em 2018 pelo PSL. Francischini obteve 428 mil votos e foi o primeiro colocado na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná.

A procuradora foi bem explícita ao afirmar que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) desaprovou as contas do parlamentar ao reconhecer a prática de fraude e abuso do poder, o que, pela legislação eleitoral vigente, implica na cassação de sua diplomação, nulidade dos votos que recebeu e, consequentemente, no recálculo do quociente eleitoral e redistribuição das vagas decorrentes.

Francischini, em nota distribuída à imprensa, ignora totalmente a razões elencadas pela procuradora para pedir sua cassação. Prefere desviar o foco ao afirmar que ação do Ministério Público Eleitoral seria uma resposta às denúncias que ele fez quanto a supostas – e não comprovadas – fraudes nas urnas eletrônicas. Em nenhum momento a procuradora Eloisa Helena Machado faz referência a tais denúncias nem Francischini se refere aos fatos alegados na ação.

Diz a nota distribuída pelo deputado:

Denunciei suspeitas de irregularidades graves apontadas por eleitores na urnas eletrônicas nas eleições. Só não viu quem se omitiu! O TRE/PR cumpriu bem seu dever legal: fez as auditorias devidas que, para finalização, em nosso entendimento, ainda aguardam o encaminhamento dos Códigos Fonte pelo TSE.

O problema é que a Procuradora Regional, Dra. Eloisa Helena Machado recebeu as minhas devidas críticas ao sistema como ofensas e esta se utilizando de seu cargo e função para pedir a cassação de meu mandato. Esta é a razão das ações contra o mandato que recebi de 427.749 eleitores. Isto é inconstitucional e ilegal, verdadeiro abuso de poder.

O Presidente Jair Bolsonaro também fez as mesmas denúncias contra as Urnas e o parecer da Procuradora Geral da República Raquel Dodge, Chefe do MPF, foi pela rejeição por entender que se tratava de Liberdade de Expressão do candidato.

As críticas que eu fiz poderiam ser feitas por qualquer cidadão e certamente estariam sendo processados. Isto é um absurdo! Como Deputado Federal fui a sua voz, e usando minha imunidade parlamentar constitucional nunca me omitirei, ficando calado, pois é a minha obrigação. Quinze minutos de fama em cima do Deputado mais votado da história do Paraná acabarão em alguns dias!

3 COMENTÁRIOS

  1. Sim, concordo. Tem limitação. É um criminoso. Lembro de estar parada na frente do positivo da vicente esperando as crias e ouvindo a propaganda eleitoral dele. Gente e quase meio milhão votou nele, mesmo com uma campanha chula.
    Marcelo Odebrecht está certíssimo e foi muito sincero ao dizer que não se faz eleição sem cx 2. Vc não recebe voto pela sua competência, mas pela qtde de gente que vc consegue fazer favores medíocres no período eleitoral e cestas básicas que consegue distribuir.

  2. A grana compra tudo. Inclusive assessoria. Duvido que tenha sido ele a escrever a nota, coisa que duvido muito que ele consiga. Ler também deve ser dificil. Por isso tem que ter desenho e imagem com som para facilitar a vida. Nisso ele representa bem o seu eleitor, na limitação intelectual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui