Estudo mostra que Justiça Eleitoral vive crise de imagem

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Um estudo feito pela equipe do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, que também é vice-presidene do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu que a Justiça Eleitoral brasileira vive uma crise de imagem, “em razão do crescimento do desinteresse da população pela política, dos altos índices de alienação eleitoral e da fragilidade do apego coletivo à democracia”. A informação é do jornal Valor Econômico.

O resultado preocupou o atual vice-presidente do TSE, que assumirá o comando da corte em agosto. O ministro escreveu no prefácio da publicação do estudo: “Suscita-se desordem para armar o restabelecimento da ordem. É possível, ainda que para muitos seja improvável, que advenha disso tudo a dissolução geral da sociedade e do Estado. Ainda não tocaram os sinos em sinal de luto, porém a corrosão é intolerável. É imprescindível sair da crise sem sair da democracia.”

De acordo com o jornal, o doutor em Ciências Jurídicas e assessor de Fachin no TSE Frederico Franco Alvim comentou que a corrosão da confiança pública nas instituições pode ser “gatilho” para protestos como os que ocorreram nos Estados Unidos na semana passada.

 

Deixe uma resposta