Com aposentadoria compulsória prevista para 2021, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello espera que o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, não ocupe a vaga que será aberta devido a sua saída.

Em entrevista para a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, Mello criticou Moro por diálogos vazados, obtidos pelo site The Intercept, que apontam parcialidade nas decisões enquanto juiz da Lava Jato.

O ministro do STF diz que continua a “indagar o que nós estaríamos a dizer se [Moro] tivesse mantido essa espécie de diálogo com a outra parte [a defesa dos réus]”.

“Ministério Público no processo é parte e tem que ser tratado como tal”, afirmou o ministro. “Eu espero que ele não ocupe a cadeira que deixarei em 2021”, completou.