Nova rodada de discussões sobre a data-base do reajuste salarial dos serviços públicos estaduais e a votação do projeto Escola sem Partido são os principais temas da pauta desta semana da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Na pauta desta segunda-feira (27) está prevista nova rodada de negociação entre representantes do Palácio Iguaçu e dos servidores estaduais sobre o reajuste da categoria. O quinto encontro da comissão formada para discutir o assunto, realizado na semana passada, terminou sem avanços. Diante da falta de uma posição do Executivo, o Fórum da Entidades Sindicais (FES) anunciou que se o governo não apresentar uma proposta até quarta-feira (29) vai discutir a possibilidade de uma greve do funcionalismo a partir do mês que vem.

Já a proposta que pretende restringir discussões sobre política, gênero e sexualidade na rede de ensino estadual está programada para ser votada em plenário nesta terça-feira (28), depois de mais de dois anos tramitando. A APP-Sindicato classifica a iniciativa como mais uma “lei da mordaça” e vai mobilizar os professores para pressionar os deputados a rejeitá-la.

Apresentado em dezembro de 2016, o projeto Escola sem Partido tem o apoio da bancada evangélica e setores conservadores, mas nunca foi colocada em votação em razão da resistência dos professores. O projeto reproduz praticamente o mesmo texto de propostas semelhantes que vêm sendo apresentados por parlamentares das bancadas evangélicas e de outros setores em câmaras municipais e assembleias de todo o País, sob a alegação de combater a suposta “doutrinação” política nas escolas.