Caso do empresário que se acorrentou na Caixa chega a Paulo Guedes

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Caso do empresário que se acorrentou na Caixa chega a Paulo GuedesChegou ao Ministério da Economia, na manhã desta terça-feira (14), o caso do empresário curitibano que se acorrentou numa agência da Caixa Econômica em protesto contra a não liberação de empréstimo emergencial prometido pelo governo federal para socorrer micro e pequenas afetadas pela pandemia do coronavírus.

Relator da Medida Provisória 958, que facilita o acesso ao crédito nesse período de pandemia, o deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) manteve reunião com assessores do ministro Paulo Guedes e usou como exemplo das dificuldades enfrentadas por pequenos comerciantes o drama vivido Arlindo Ventura, o Magrão, dono do bar O Torto no tradicional bairro boêmio São Francisco, conforme registrado por este Contraponto.

Arlindo está pleiteando desde fevereiro um crédito de R$ 55 mil, mas, quase cinco meses depois, ainda não obteve a liberação do recurso administrado pela Caixa. Com três funcionários e fechado por conta do isolamento social, o empresário garantiu que não tem como continuar e que chegou no seu limite. “Eu não demiti ninguém, mas estou no meu limite”, ressaltou.

Munidos do link da matéria do Contraponto, assessores do gabinete do ministro Paulo Guedes prometeram ao deputado Rubens Bueno levar à direção da Caixa Econômica o caso do bar O Torto – semelhante a milhares de outros no país. A Medida Provisória prevê a dispensa de uma série de certidões (receita, INSS etc) que tornam quase impossível a liberação dos créditos prometidos.

1 comentário em “Caso do empresário que se acorrentou na Caixa chega a Paulo Guedes”

  1. Totalmente lastimável ter que se humilhar desta forma pra ter acesso á linha de crédito pra continuar á trabalhar, gerar emprego e impostos,

Deixe uma resposta