As palmas amarelas do Sistema S

Foram bem amarelas e ralas as palmas da nata do empresariado brasileiro na sede da Federação das Indústrias do Rio quando o super ministro da Economia, Paulo Guedes, falou em cortar em até 50% os recursos do Sistema S.

O sistema S é uma espécie, é financiado exclusivamente pelo patronato, que destina um percentual que paga na folha de pagamento para sustentar as estruturas de educação profissional que mantêm por meio do Sesi, Sesc, Senac, Senais e outras instituições. Os empresários recolhem os valores para o governo federal e este refaz o repasse para as instituições. Nenhum centavo é de dinheiro público para formar o bolo.

Em 2016, a Receita Federal repassou – apenas repassou – R$ 16 bilhões arrecadados de tributos para nove entidades privadas do chamado Sistema S, como Sesi, Senac, Sesc e Sebrae. O valor equivale a cerca de metade do Orçamento do Bolsa Família de 2017. O volume expressivo de recursos por vezes atrai a atenção de gestores públicos e parlamentares, que gostariam de utilizá-los em outras finalidades, mas enfrentam o lobby organizado da indústria, do comércio e do agronegócio, que controlam as entidades do sistema.

Paulo Guides quer ficar com parte desta arrecadação e apela para a uma analogia: se os sindicatos de trabalhadores perderam o direito de receber o imposto sindical obrigatório – que é pago pelos próprios trabalhadores, por que não também cortar recursos do Sistema S? Com o perigo de o dinheiro que ficar com o governo cair no ralo da ineficiência do administração pública.

O argumento de Paulo Guedes, chega a ser simplório: se a nova lei trabalhista acabou com a mordomia do sindicalismo, chegou a hora de cortar na área patronal. A questão principal, no entanto, só veremos na sequência do novo Governo. Reduzir o sindicalismo brasileiro a pó é uma forma indireta de botar o PT e suas lideranças sindicais pra correr. Mexer no Sistema S é atingir a elite financeira brasileira, a mesma que aderiu a Jair Bolsonaro como a única tábua de salvação para o retorno da direita no País.

3 COMENTÁRIOS

  1. Agrinho do Senar

    Contratações milionarias de consultoras e consultores

    Tudo para deleite dos faraós das entidades

    E o povo paga mensalidade dos cursos
    Preparatórios e faculdade do senai

  2. Esta grana das Federações financiaram as manifestações de 2013, 2014… a turma do pato amarelo….aqui no Parana, eles aplicam este dinheiro em ações questionaveis como o incentivo ao uso dos agrotoxicos, no caso do senar…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui