O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, admitiu que pode ter cometido um “descuido formal” ao trocar mensagens com o procurador da República Deltan Dallagnol e membros da operação Lava Jato. “Eventualmente, pode ter havido algum descuido formal, mas, enfim, isso não é nenhum ilícito, garantiu o ministro nesta sexta- feira (14).

Sobre as colaborações enviadas à força-tarefa da Lava Jato, o ex-juiz federal declarou que recebia “várias” dicas pela popularidade da operação. Nós lá na 13ª Vara Federal, pela notoriedade das investigações, nós recebíamos várias dessas por dia. Eu recebi aquela informação e, aí assim, vamos dizer, foi até um descuido meu, apenas passei pelo aplicativo. Mas não tem nenhuma anormalidade nisso. Não havia nem ação penal em curso”, disse.

Em 7 de dezembro de 2015 , Moro enviou a Dallagnol uma possível pista sobre um dos casos de Lula: “Então. Seguinte. Fonte me informou que a pessoa do contato estaria incomodado por ter sido a ela solicitada a lavratura de minutas de escrituras para transferências de propriedade de um dos filhos do ex Presidente. Aparentemente a pessoa estaria disposta a prestar a informação. Estou então repassando. A fonte é seria”. Moro disse que está tranquilo em relação aos seus atos enquanto juiz dos casos da Operação Lava Jato.