O chefe da Secom foi questionado pela Folha sobre a relação completa dos contratantes, mas não apresentou os valores pagos. Em pronunciamento no Palácio do Planalto ontem (15), ele afirmou: “Eu não temo nada, zero. 100% das receitas das minhas empresas estão à disposição de todos que quiserem”, disse.

Uma reportagem do jornal divulgou que a FW, fornecedora de pesquisas de mídia para o mercado, recebe dinheiro de agências e de TVs contratadas pela própria Secom, ministérios e estatais do governo Jair Bolsonaro, entre elas a Band e a Record, cujas participações na verba publicitária da Secom vêm aumentando.