Acordo para construir segunda ponte de Foz sai antes do Natal

A imprensa paraguaia divulga que os presidentes do Brasil, Michel Temer, e do Paraguai, Mario Abdo Beníte, oficializam nos próximos dias o acordo para o início das obras de construção da segunda ponte em Foz do Iguaçu ligando os dois países. Segundo o site Ñanduti, o anúncio deve ocorrer pouco antes do Natal na Itaipu Binacional.

A governadora do Paraná, Cida Borghetti, trabalha há meses pela execução da obra. Cerca de 30 dias atrás esteve em Brasília para tratar do tema com o presidente Michel Temer. No início de setembro foi ao Paraguai para uma audiência com o presidente Mario Abdo e também se reuniu com os diretores-gerais da Itaipu pelo lado brasileiro, Marcos Stamm, e pelo lado paraguaio, José Alberto Alderete.

“Este projeto é esperado há décadas e trará mais desenvolvimento ao Paraná, ao Brasil e ao Paraguai”, afirmou. “Com a obra, todo o transporte de cargas será feito pela segunda ponte, e a atual vai atender somente turistas e passageiros”, completou ela, destacando que a Ponte da Amizade está sobrecarregada, já que além das pessoas que circulam entre Foz e Cidade de Leste, ela também concentra o trânsito de caminhões.

Além da nova ponte ligando Foz do Iguaçu ao Paraguai, também será anunciada uma ponte de Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta, no Paraguai. As duas obras serão financiadas pela Itaipu Binacional.

“Vamos contar com duas grandes obras de infraestrutura que vão nos unir ainda mais com o Brasil e vão permitir a logística para o nosso crescimento e desenvolvimento, sem dever nada a ninguém”, disse o ministro de relações exteriores do Paraguai, Luis Alberto Castiglioni.

2018-12-06T09:23:06+00:00 05 dezembro - 2018 - 19:20|Brasil, Paraná, Política|1 Comentário


Um Comentário

  1. Ricardo R 5 de dezembro de 2018 em 21:25 - Responder

    E, desta vez, nada de receber propinas de empreiteiras, ok? Juízo crianças!

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta