A vacinação obrigatória

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Por Cláudio Henrique de Castro – Vários países no mundo obrigam as pessoas a se vacinarem.

Enquanto a quase totalidade da população do planeta não estiver vacinada,podem surgir novas variantes que ameaçam todo resto.

As pessoas têm a liberdade constitucional para não se vacinarem? Balela, não há essa escolha, pois se tratamento de um interesse coletivo, o direito individual não prevalece.

Na Itália, o decreto-lei de 7 de junho de 2017, n. 73, prevê as seguintes vacinas obrigatórias para menores de zero a dezesseis anos e para menores estrangeiros não acompanhados: anti-poliomielite, anti-difteria, anti-tétano, anti-hepatite B, coqueluche, anti- Haemophilusinfluenzae tipo b, anti-sarampo, anti-rubéola, anti-caxumba e anti-varicela.

No momento da matrícula na escola, caso não seja comprovada a vacinação, é ativado um programa de recuperação vacinal e é possível que os genitores sejam multados de 100 a 500 euros.

Para os profissionais da saúde a vacina da covid e as doses de reforço são obrigatórias.

Recentemente, aos maiores de 50 anos tornou-se obrigatória e há a instituição do passe super verde para o trabalho que terá início no dia 15 de fevereiro.

As penalidades são: de 100 euros pelo simples fato de não se submeterem às administrações embora sejam obrigados (porque têm mais de 50 anos); a suspensão do trabalho, sem remuneração, se a pessoa obrigada a receber a vacina for trabalhador; uma multa de 600 a 1500 euros se a pessoa obrigada a vacinar for apanhada no local de trabalho sem passe verde reforçado (de vacinação ou recuperação). Em caso de reincidência, a pena é duplicada para até três mil euros.

Essas medidas,na Itália, somam-se às normas que prescrevem o passe verde reforçado para acesso a determinados serviços e atividades como restaurantes, academias, trens, ônibus, cinemas, teatros, estádios. Nestes casos, aqueles que são obrigados a ter um passe verde reforçado e, portanto, vacinados (independentemente da idade), casonão comprovem a vacinação, estão sujeitos a uma pena adicional de 400 a 1000 euros se forem apanhados sem passe verde reforçado nos locais onde éobrigatório.

Outros países europeus estão adotando medidas semelhantes.

Esses são exemplos para o Brasil, na linha da prevenção vacinal obrigatória.

Se a pessoa não quiser se vacinar ela não poderá frequentar locais públicos, não poderá trabalhar e pagará multas pesadíssimas por essa escolha.

1 comentário em “A vacinação obrigatória”

  1. Meu filho tem um problema no intestino e carinha uma alergia grave à algumas proteínas e à glúten.

    Indevidamente o posto aplicou a vacina rotavírus, contra indicada e que tem ou provocado ou agravado alegrias alimentares e problemas neurológicos nas crianças em razão do desequilíbrio que causa na flora intestinal.

    Caro repórter, meu filho passou a ter regressão no desenvolvimento neurológico e ater cólicas horríveis, agora tem amis alergias e tem agora dificuldade para falar , para interagir entre outrora problemas neurológicos.

    O senhor está colocando a vacina como algo seguro e que blá blá blá podem ter ocorrêncis isoladas de A B ou C eventos para um em cada cem mil.

    Vc tem filhos? Vc tocaria o trem sobre seu filho que está na linha do trem pq isso salvaria cem outras pessoas no vagão x ou sei lá onde elas estão? BALELA

    Quando for a saúde do seu filho vc vai a analisar bem essa teoria jurídica do bem coletivo sobrepor o individual.

    Se eu soubesse o que a vacina poderia casar ao meu filho vc acha que eu teria dado? Vc acha que para o bem dos outros a suade neurológica do meu filho foi um custo, alto, mas foi um custo para o bem coletivo!

    Várias vacinas janais deveriam ser aplicadas antes dos três anos. Muito vc já escreveu aqui, vc é um dos quê eu mais gosto, portanto veja meu comentário não como uma afronta, mas como uma oportunidade para vc rever o seu ponto de vista, ouça meu Contraponto.

    Uma das coisas que vc já mencionou é a famosa frase de que uma.mentura muito bem contada, muitas vezes, ela pode parecer verdade, mas ela nunca será verdadeira.

    Eu como boa cidadã e me achando mãe responsável, atendi sempre com todos os filhos,vtodo o calendário nacional de imunização. Caro repórter, as pessoas não são sabão, cada uma é única. Se um está em risco, então não vale o risco, pq todos são importantes.

    Vc quer dar a vacina para seu filho pq lhe mentiram muito bem que ela é segura? Vacinados ou não terão covid, então pq vou colocar algo voará dentro para aumentar a bagunça imunológica?!

    O direito e saúde não prevalece? Se sou mais saudável sem vacina,boa tenho que arriscar? Se meu Filho tem saúde pq devo colocar ele em risco? Parece mais seguro ter covid que tomar a vacina.

    E olha que a pessoa que vos escreve tomou todas as doses, jamais tornarei a vacinar uma criança e não seguirei a manada, o senhor devia analisar bem essa sua matéria e aqui não é a Itália, caso tenha esquecido, não ganhamos em euros e não temos assistência do Estado quando temos doenças neuro degenerativas e ninguém vai te oferecer defesa pública para vc processar o Estado por estragar sua saúde. E nem que tivesse advogado, vc iria preferir seu filho saudável ou uma indenização pública?

Deixe uma resposta