O Gaeco e o Tribunal de Contas estão empenhados em descobrir o mistério que ronda uma casa de luxo alugada pela secretaria de Segurança Pública num codomínio fechado no bairro do Portão e pela qual o governo paga R$ 5.140,00 por mês além de todas as demais taxas. A nova administração da Sesp também quer saber, porque precisa explicar aos órgãos de fiscalização.

Situado à rua Aristides Pereira da Cruz, 21, Portão, o imóvel sempre foi tratado sob extremo segredo. As melhores explicações diziam que lá funcionava o setor de estatísticas do enigmático Diep (Departamento de Inteligência do Estado do Paraná). Ocorre, no entanto, que a secretaria tem um departamento específico e especializado em estatísticas (o CAPE).

Mais: o Diep conta com instalações generosas no 5.º andar da sede da secretaria da Segurança, no Centro Cívico, além de dois outros imóveis, um em Santa Felicidade (onde se concentram as operações investigações), e outro perto do Mercado Municipal, na rua da Paz.

Gente da área considera estranha a locação de uma casa de alto padrão, em condomínio fechado, com controle de acesso e ampla circulação de pessoas, onde qualquer atividade de investigação sensível poderia ser prejudicada.

O contrato de aluguel do imóvel foi assinado em 21 de dezembro de 2015 pelo então secretário Wagner Mesquita.